10/01/12

Esta gente é doida [os nazis também eram e deu no que deu]

"Basta estar uma pessoa a fumar do lado de fora, junto à porta de um bar, para aumentar o nível de exposição ao fumo de quem está no interior", garante Fátima Reis, coordenadora de uma coisa qualquer que eu também devo estar a pagar.

37 comentários:

josé agostinho baptista disse...

Quem é esta girl, esta galinha, esta mentecapta coordenadora de imbecilidades, lixos, tretas e afins, que se acha no direito de nos poluir a mente?

E é para esta e outras subespécies que pagamos?

Que nojo.

Anónimo disse...

nazi seria impedir-te de fumar na intimidade do teu lar ;-) espaço público é espaço público, há que aprender a respeitar os outros, a democracia e não o nazismo radica a sua origem nisso, aminha liberdade acaba onde começa a dos outros ...!

Ana Cristina Leonardo disse...

ó anónimo, que és tão respeitador da tua liberdade que nem tens nome, vai proibir as vacas de se peidarem nos prados que isso causa muita poluição ao planeta!
E espero tb. que te desloques de triciclo porque se passas a esfumaçar de carro à minha porta, tens que te haver com o meu espaço público. Que grande imbecil!

Ana Cristina Leonardo disse...

... e isto, sem falar da estupidez humana que, não deitando fumo, é a coisa que até hoje mais mortes causou à espécie

m. disse...

Ah!Ah!Ah! Ó Ana, que deus nosso senhor lhe conserve os dedinhos para teclar.

mjm disse...

ó Drª Inginheira Fátima Reis,

Quando passeia o cão apanha a merda que ele deixa pelo caminho?

E já fez um decreto para a fumarada que a Cimpor faz?

Vá dar banho ao cão!!!!

Ana Cristina Leonardo disse...

m, é que o parvo(a) do anónimo(a) irritou-me mesmo! Odeio conversa de catequese.

margarete disse...

"... e isto, sem falar da estupidez humana que, não deitando fumo, é a coisa que até hoje mais mortes causou à espécie"

henedina disse...

O fundamentalismo não ajuda realmente.
O mês passado veio uma criança a consulta, a mãe estava de preto e triste perguntei o que se passava o marido tinha morrido de cancro do pulmão. Perguntei: fumava? Não, temos um café.
Os fumadores que escreveram aqui fumam em frente a uma grávida?

MCS disse...

Há uns meses ouvi uma reportagem na rádio (julgo que na TSF), sobre uma estudante universitária que após uns exames de rotina lhe disseram isto: você tem uns pulmões de fumadora. Até aqui nada de mais.
Bem, esta mesma estudante disse que nunca fumara na vida, nem tinha por hábito frequentar cafés ou algo assim. Os médicos ficaram intrigados e resolveram investigar mais um pouco. E concluíram que se devia à poluição automóvel, já que ela tinha vivido, desde que nascera, numa rua (da Junqueira, em Lisboa) com muito trânsito.
Isto vale o que vale, mas foi o que ela contou na reportagem.


("coordenadora de uma coisa qualquer que eu também devo estar a pagar." :-D

josé agostinho baptista disse...

Parece que a DONA HENEDINA está a confundir tudo. E como se dirige aos "fumadores que escreveram aqui", perguntando se "fumam em frente a uma grávida", pela parte que me toca digo que não sei. Depende. Não tenho a certeza.
Sou filho de um homem que fumava 4 maços por dia. Morreu aos 82 anos. Eu fui asmático até aos 21. Tenho, desde essa altura, um enfisema pulmonar. A minha mãe, fumadora apenas passiva, tem 84. O seu problema chama-se Alzheimer, essa coisa in que os doutores gostam de dizer de toda a gente que quer esquecer o novo mundo, as novas inteligências, ou melhor, as modernas charlatanices.
Já agora, o meu sogro, que odiava fumo, foi internado a 24 de Dezembro último com uma broncopneumonia que afinal era um enfarte. Morreu a 28 de Dezembro, no grande Hospital da CUF. A conta foram 16 mil euros.

E, só para terminar, eu que até nem tenho automóvel,sou obrigado a respirar o fumo dos automóveis dos outros?

Como são belas estas democracias quando nos dão jeito.

Ana Cristina Leonardo disse...

henedina, não sei se está a dizer que o senhor que morreu no seu comentário morreu por ter um café, mas se é isso, teremos de elevar um pouco a conversa em nome do morto!
É que não sou fundamentalista, mas prezo muito o nível das conversas. O fumo do tabaco é acusado de tudo e mais alguma coisa. Desconfio, contudo, de uma coisa singela: o prazer que ele provoca aos fumadores irrita muitas fátimas deste mundo!

Paulo Gil disse...

Ao que tudo indica, pela lógica que sustenta a afirmação de Fátima Reis, vai ser interdita a circulação de veículos de combustão interna nas imediações de bares, restaurantes, cafés, pastelarias e afins...
Declaração de interesses: Não pertenço a nenhuma Loja de fumo nem tenho a intenção em me tornar fumador inveterado.

Ana Cristina Leonardo disse...

Paulo Gil, cá para mim, o problema da afirmação da Fátima Reis é justamente a falta de lógica. Isso, e um puritanismo inquisitorial. A não ser que seja simplesmente parva.

alf disse...

o problema é a inveja do prazer dos outros - é por isso que os cigarros electrónicos também são proibidos. Fumaar vapor de água também causa cancro?

A ligaçao do tabaco ao cancro é uma falsidade. Ao enfisema pulmonar sim, ao cancro não.

Os últimos estudos indicam que as pessoas que deixam de fumar têm mais risco de apanhar cancro do que quem fuma. A razão é fácil de perceber: as células cancerosas são mais frágeis do que as outras e tudo o que nos faz "mal" mata as células cancerosas. É por isso que se faz quimioterapia e radioterapia. É por isso que pessoas que estiveram muito tempo sujeitas a uma forma de agressão, seja o tabaco, o sol, a radiação das minas de urânio, etc, e cortam com isso, apresentam taxas de cancro mais elevadas - é o cancro que já teria aparecido se não tivessem estado protegidas dele pelo tabaco, sol, radiação.

Aliás, essa história do fumador passivo foi uma invenção para explicar porque é que os fumadores não tinham mais cancro que os outros - é porque os outros eram "fumadores passivos"... afinal, parece que é possivel enganar toda a gente durante todo o tempo...

henedina disse...

As pessoas são adultas e fazem o que quiserem. Nunca disse a um fumador não podes fumar a minha beira não sou nada fundamentalista. Mas as crianças no útero ou fora dele devem ser respeitadas.
O meu bisovô era fumador de charutos e morreu aos 98. O meu pai foi um grande fumador e morreu por causa do tabaco de enfisema pulmonar (paragem respiratoria) aos 74 anos não fumava desde há 30 anos. É preciso fumo e a pessoa, mas estes casos são as exceções.
O senhor da asma até aos 21 talvez tenha tido infeções e broncospasmo pelo ambiente não livre de fumo em casa, quando deixou a casa ou estava lá menos, deixou de ter. A história é típica.
Quando a si Ana, eu tb... gosto de chocolate e se alguem disser que estou proibida tenho a mesma reação da Ana, mas o senhor não morreu por ter um café morreu porque para ganhar a vida fumou toda a vida o fumo dos frequentadores.
Quando a proibir na rua...isso acho fundamentalismo.
No aeroporto de Roterdão têm uma area humilhante para não fumadores as opções são individuais e o fundamentalismo é sempre incorreto como disse no meu comentario.
Mas a pergunta mantém-se estão atentos a não fumar em frente a uma grávida ou criança?
Na vossa casa ou carro fumam se tiverem alguém lá?
DONA HENEDINA ;)

henedina disse...

alf
Ainda não tinha lido a sua. Vá a pubmed sairam várias meta-análises de 2011-2010 sobre tabagismo por favor vá ver.
Se não dominar inglês posso indicar-lhe um livro em português mas há conflito de interesses (não ganho nada e como não sou economista, nada é nada, não é 50% como o Catroga) mas fui autora do capítulo da pediatria.
"Tabagismo: o essencial para médicos."

josé agostinho baptista disse...

O senhor da asma até aos 21 só tem a dizer à senhora dos capítulos de pediatria que tem o maior respeito pelos médicos mas não os vê, nem à ciência, como verdades últimas, inquestionáveis, acima de Deus ou de outra entidade superior que talvez conduza as nossas vidas. O que sabe é o que passou, o que passa, o que viu e o que vê, sem pôr-se de cócoras perante a propaganda do sistema. Foi cobaia, durante 20 anos de sofrimento, de tudo o que a ciência e os seus agentes (justiça lhes seja feita) foram tentando em prol da sua doença, desde auto-sangues (o último grito da moda à época) a vacinas por todo o lado, comprimidos, gotas, inaladores, etc., e uma infinidade de mesinhas. No serviço militar, chegou a inalar enxofre queimado e até insecticidas, tal como outros colegas, só para provocar crises de asma que o livrassem daquele serviço fascista. Não serviu de nada. A asma fora-se. Como recordação amarga deixou-lhe um enfisema e em consequência uma capacidade respiratória bastante reduzida. Portanto, se fala de fumo sabe do que fala pois sofreu na pele, neste caso nos brônquios e nos pulmões, a dolorosa experiência de mal poder respirar. Mas nem por isso, alguma vez, culpou o pai ou fosse quem fosse que fumasse à sua volta.

Ah, já agora: na minha casa, antes de acender um cigarro, sempre perguntei se alguém se importava. Nunca precisei que nenhuma lei me obrigasse a isso pois as únicas leis que respeito são as da inteligência, da sensibilidade e do coração.

Anónimo disse...

1º "anónimo" é a opção que esta coisa me dá para quem tem não tem conta de google, mas se quiserem deixo aqui o meu nome completo e nº de irs, que tem até a sua relevância para o assunto em questão, pois quem paga impostos tem direito a protecção do Estado ...
2º chamar imbecil, parvo, estúpido a um outro cidadão revela já uma enoooooorme incapacidade de respeitar as diferenças na sociedade e caminho certo, esse sim, para o fundamentalismo. Para quando o explosivo à porta do estúpido do "anónimo" ?
3º Os fumadores com este tipo de lei não são proibidos de fumar, mas apenas de fazê-lo em locais de uso comum, sejam eles públicos ou privados. Os amantes do tabaco podem fumar nas suas casas,automóveis, nas ruas ( a lei prevê zonas específicas para não fumar, não é preciso muita inteligência para se perceber isso), em áreas ao ar livre, nos quartos de hotéis e pousadas em que se hospedarem (desde que reservados para isso) e em cultos religiosos, quando o consumo dessa substância fizer parte do ritual ! :-)

Os "anónimos" como eu, afavor desta lei, não punem nem insultam os fumadores. A lei pune sim o estabelecimento que permitir o consumo indevido de tabaco.

Francisco Magalhães

Ana Cristina Leonardo disse...

anónimo francisco magalhães, eu não respeito estúpidos. não lhes ponho explosivos à porta mas tb. não perco tempo com eles. e não se esqueça: de triciclo!

Anónimo disse...

escrevi com extrema velocidade e só depois me dei conta de 2 falhas no meu comentário : o 1º óbviamente "nº de contribuinte"
o 2º é que devia ter falado da falta de "civismo" no nosso país, aquele civismo que nos faz ficar de boca aberta de espanto quando visitamos outros países mais civilizados ... aqueles países onde até os fumadores (!) andam de triciclo ou de bicicleta , respeitam os estúpidos, os inválidos, os atrasados mentais,os fumofóbicos,os homosexuais etc etc porque fez parte, desde pequeninos, da aprendizagem do conceito de civismo .
Francisco Magalhães

Ana Cristina Leonardo disse...

anónimo francisco magalhães, a catequese é no tasco ao lado. Boa-tarde!
(só uma nota sobre países onde, pelo vistos, o anónimo francisco magalhães costuma ficar de boca aberta de espanto: não sei se está a referir-se a algum, ou alguns, onde concedem o último cigarro ao condenado à morte - mas se é o caso, eu também acho isso muito civilizado... e higiénico)

henedina disse...

Senhor José Agostinho Baptista se não fuma onde estão crianças e gravidas não tenho nada a declarar-lhe. (o senhor da asma aos 21 - foi pouco tempo para ir atrás ver o nome).

josé agostinho baptista disse...

Obrigado pela sua compreensão e simpatia, apesar de estarmos em lados opostos da vida.

Anónimo disse...

Quanta raiva (a propósito, falava-se de nazismo no titulo...) nas suas palavras quando a conversa até podia ser construtiva ...
É um pouco simplista ( eu não digo estúpido, digo só simplista ...) lançar boutades e depois retirar-se argumentando com os pés e não com a cabeça...

Ana Cristina Leonardo disse...

Raiva???!!!! Pés? Cabeça? Boutades? Ó anónimo, só por eu achar que não existe o mínimo entendimento comum para manter uma conversa com alguém, não quer dizer que isso signifique raiva. Apenas que tenho mais que fazer. E que não há razão para estarmos sempre a reinventar a roda...

Anónimo disse...

Se este blog é um monólogo e não aceita opiniões discordantes, feche os comentários ao público e não nos faça é perder tempo a nós ! A menos que seja uma pessoa tão carente que se acontente com elogios sumários ou então também com o prazer sádico de insultar quem escreve aqui um entendimento que não é comum ao seu ... Já não me recordo como vim aqui parar, segui um link provávelmente, mas não penso voltar a "incomodá-la" no seu pequeno mundo ...

Ana Cristina Leonardo disse...

ok

Anónimo disse...

Ana Cristina Leonardo sou fumador. Sou também leitor do Expresso. E neste momento tenho algum tempo entre as mãos para lhe dispensar um comentário aqui na verborreica blogosfeira. Se até me diverti por em teoria admitir que esta conclusão da Fátima Reis se presta ao rótulo que a Ana lhe coloca não posso contudo deixar de discordar no desenvolvimento que lhe dá aqui nos comentários. Assim, também pago o que a Ana escreve no Expresso. Como posso insinuar uma ironia acerca disso?

Ana Cristina Leonardo disse...

Anónimo, leitor do Expresso, não percebi.

josé agostinho baptista disse...

De facto, uma vez mais, tal como sempre, em portugal a vida é igual à vidinha. São todos tão engraçados, tão leitores dos expressos e dos públicos, tão acima das questões minimamente mortais.
"Saudades de ser índio", escreveu há muitos anos uma figura sui generis que se chamava Fernando Grade e de quem toda a gente "intelectual e evoluída" se ria. Não sei que é feito dele, se está morto ou vivo, que faz ou não faz, por onde anda ou deixou de andar.
E eu, que também ri dele nesses tempos, reconheço hoje que isto de ser "civilizado" e moderno é uma bosta que cheira muito mal.

Anónimo leito do expresso. disse...

Convenientemente a Ana Cristina Leonardo não percebeu. Afirmo uma coisa: a sua letreiratura no Expresso será também muito bem lida no folhetos da publicidade do LIDL.

Ana Cristina Leonardo disse...

Anónimo leitor do expresso, embora continuando sem perceber o seu primeiro comentário, obrigada! Já agora, tem lume?

Anónimo disse...

Raios mulher. acreditando na existência de um cérebro nessa cabeça (a não ser que seja a sua estimada - que estimo mesmo - escrita seja antes do animal que eventualmente cultive) como pode, a sério, vir dizer que uma proibição de fumar é um atentado à sua liberdade? se tentar dar um tiro nessa linda face que os deuses lhe deram acredite que a lei poderá tentar impedi-la, por mais que abnegado seja o acto. podem até rotular a sua identidade com um qualquer elaborado nome de doença psiquiátrica. disto tudo, só lamento que nestas alturas o que nos parece óbvio numas coisas não o seja para outras, isto é, um governo que soubesse caminhar em linha recta eliminava o tabaco de circulação. já há estudos, demasiados, que provam que fumar mata e no entanto insistimos, só porque sim e porque não sei que mais, que nos tiram a liberdade se nos proibirem de tal.

Fado Alexandrino disse...

fartei-me de rir com a conversa nos comentários.
Já fumei, agora não fumo.
Quando fumava fazia outros fumar sem eles quererem.
Acho muito bem que nos espaços públicos FECHADOS se proiba fumar.
O resto é que é fundamentalismo.
Para isso chega a américa.

Beatrix Kiddo disse...

basta uma pessoa nascer para estar sujeita a ouvir/ler estas baboseiras

F disse...

Aldous Huxley pediu LSD para morrer. E a sua amada esposa arranjou-lho. Eu também o faria.

O meu avó, a minha mãe e outro membro da minha família morreram de cancro de pulmão. Na casa dos 50 (todos demasiado novos!). Todos fumavam bastante. Também conheço quem tivesse morrido de cancro de pulmão e não fumava (por acaso partilhou a vida com quem sempre fumou – marido e filhos).

Apesar de todos conhecermos casos isso não tem grande significado. O que interessa são as estatísticas e a investigação científica. E o que eles dizem toda a gente sabe.

Impedir alguém de fumar num espaço exterior, quando nesse mesmo espaço circulam veículos igualmente ou mais poluentes, no mínimo, é um pouco absurdo... Mas, por uns poluírem isso não significa que todos o devamos fazer.

Em última análise isto reduz-se a conflitos de interesses. Conflitos de prazeres.

Não fumo. Por questões de saúde, não me convém muito estar em zonas de fumo. Durante uma boa parte da minha vida (desde a barriga da mãe) estive exposta a elavadíssimos níveis de poluição tabágica (pais e irmãos sempre fumaram dentro de casa, dentro do carro com vidros fechados, etc).

Há locais públicos (fechados) onde se está melhor na zona de fumadores (boa tiragem) do que numa esplanada ao ar livre a apanhar com o fumo do vizinho da mesa do lado. Isso incomoda bastante e não há muito que fazer (não me apetece deixar de sair à rua). Costumo trazer um leque na carteira, mas nem sempre resulta!

Portanto, vamos andando, vamos tentando ser amigos uns dos outros e civilizados, e quando estivermos mesmo mal (fumadores ou não fumadores) teremos mesmo de nos mudar.