18/11/11

O sentido maternal das ministras [não sei se é disto que se fala quando se fala das vantagens do feminine touch na política]

"Façam sopa em casa", Ana Jorge, ministra da Saúde de José Sócrates
"As crianças devem voltar a comer fruta em estado natural", Assunção Cristas, ministra da Agricultura de Passos Coelho

Razão tem a Shakira: "The worst mistake of a woman is to go to the kitchen, because then she never gets out of there"

9 comentários:

Fado Alexandrino disse...

What dafuck.
Este post devia ser removido, dá ideias.
Perigosas.

Anónimo disse...

as crianças, bebés e as mães deles a saírem da sua zona de conforto, pois claro. cá por casa, contudo, mantenho os meus a ferrero rocher, ma só no inverno. no verão prefiro esperar.

henedina disse...

"não sei se é disto que se fala quando se fala das vantagens do feminine touch na política".
As 2 respostas são verdadeiras.
Não, não é. A maneira da mulher fazer política como uma mulher e não copiando modelos masculinos seria resolver pelo dialogo os conflitos e não precisar de guerras e de ficar por cima numa competição estúpida.
Sim, claro, se "feminine touch". Fazer sopa, comer fruta ao natural, e ser uma menina prendada, boa dona de casa e só sendo permitido das artes, ciencias e letras aprender a tocar piano.

henedina disse...

"não sei se é disto que se fala quando se fala das vantagens do feminine touch na política".
As 2 respostas são verdadeiras.
Não, não é. A maneira da mulher fazer política como uma mulher e não copiando modelos masculinos seria resolver pelo dialogo os conflitos e não precisar de guerras e de ficar por cima numa competição estúpida.
Sim, claro, se "feminine touch". Fazer sopa, comer fruta ao natural, e ser uma menina prendada, boa dona de casa e só sendo permitido das artes, ciencias e letras aprender a tocar piano.

Manuel Santos Marques disse...

Bom, a capa da próxima «Caras» deve ser a Cristas a lavar fraldas de pano num tanque de betão.

Cristina Torrão disse...

Não imaginava a Shakira tão inteligente...

Manuel Vilarinho Pires disse...

Mas o prémio "Ai, eu sou tão gira! Todos me convidam. Mas eu digo-lhes que não, sei lá?" vai para...?

m.a.g. disse...

Compreende-se que as Shakiras deste mundo pensem assim. Há cozinhas que têm as mulheres que merecem e o contrário também não. Em que é que fazer uma sopa, ou dar fruta fresca às crianças poderá transformar as mulheres em escravas/fadas do lar? Tretas! De resto, há muita sensualidade na elaboração da comida :) E o feminine touch quantas vezes vem com um laçarote de misoginia feminina?!

fallorca disse...

«E o feminine touch quantas vezes vem com um laçarote de misoginia feminina?!»
Bom, pergunto é quando não vem