16/12/10

Não é por ser d'après Baudrillard que uma aldrabice deixa de o ser

Fernanda Câncio cita João Lopes.
Gostei muito de um livro de reportagens da Fernanda Câncio. E costumava gostar muito do que escrevia João Lopes, mesmo quando não gostava dos filmes de que ele gostava (vai no passado porque há muito tempo que não o leio).
Dito isto, escusam de vir com Sade, Baudrillard e o ódio à América porque não pega. A coisa é muito mais simples.
A América iniciou uma guerra por motivos ínvios. Provocou milhares de mortos, iraquianos mas também americanos, sem justificação. Bush devia ser julgado por crimes de guerra, se o mundo fosse um lugar justo. Não é. Ainda assim, uma aldrabice é uma aldrabice. E não é preciso ter lido La philosophie dans le boudoir para perceber isto.

3 comentários:

F disse...

Nem mais! Subscrevo.

Um testemunho:
http://www.youtube.com/watch?v=a2M0dOZBoFw

A segunda parte também lá está.

James disse...

Vou espreitar isso F, obrigadinho.

Sobre o assunto: ao menino e ao borracho põe esse gajú (que gostaria de existir) a mão por debaixo (do rabiosque).
Nunca na vida vi um incompetente com tanta sorte e manha como o Bush filho, especialista em lixar a sorte dos outros em proveito próprio.
F.d.p.

**asco**

:-(

Carlos Azevedo disse...

Nem mais.