24/10/10

O Lino lá vai seguro e Pino lá foi para New York incluído na factura dos 3 milhões; Chávez voltou



Sobre Pino aqui.
Sobre Lino ali.

6 comentários:

Manuel Vilarinho Pires disse...

E foi dar aulas de quê? De "bad english"? Errado! Foi dar aulas de economia verde... http://wwwmeditacaonapastelaria.blogspot.com/2010/10/e-porque-nao-ressuscitar-licenca-de.html
;-)

Manuel Vilarinho Pires disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JARRA disse...

Há coisas que me custam a engolir: conseguiu mais depressa o Sócrates convencer Chavez a comprar o Atântida (o que vem salvar no imediato a falência da Empresa Pública dos Estaleiros de Vaina do Castelo) que o seu correligionário dos Açores que encomendou o barco e depois o recusou por uma diferença de dois ou três nós na velocidade de ponta. E ainda irá mais dinheiro para os Açores? (a calamidade para Viana do Castelo do fecho dos Estaleiros seria incomensuravelmente maior que a das cheias da Madeira - aqui já não há solidariedade nacional?)

ava n'tesma disse...

foi folklore mas sempre serviu para viabilizar viana durante uns 2 ou 3 anos

tendo em conta que é o que resta da construção naval

e com a reparação setenávica em baixo

haja folklore

ava n'tesma disse...

já agora se a imagem
do contra a barbárie fosse de um homúnculo desprezível como o que foi lapidado

esta semana no Paquistão estaria ali ?

roubar comida num país faminto merece a lapidação?

pois não sei
há tanta barbárie

deixar morrer uma percentagem dos 15 milhões de refugiados paquistaneses é barbárie????

se calhar não

300 haitianos e uns 500 paquis de disenteria e cólera

é barbárie?naaah

Ana Cristina Leonardo disse...

Manuel, já os gregos sabiam que isto anda tudo ligado.
JARRA, não estou a par do negócio, mas é sabido que sócrates vende com muita facilidade coisas ao chávez que o considera um "homem bom"
Ava n'tesma, assim como assim, antes o folclore do que a barbárie