13/05/10

O capitalismo que nos há-de foder a todos ou bem podem meter os PECs num sítio que eu cá sei

(...) Para que se faça uma ideia: nos últimos anos, a economia mundial cresceu à volta de 4%; o comércio mundial 4,5%; e o movimento de capitais 60%!
Como é possível conviver com um sector financeiro que em algumas décadas cresceu várias vezes mais do que a economia real?
É neste contexto que se inserem as novas medidas acordadas em Bruxelas para Portugal e outros países. Através dessas medidas não se trata, como a experiência já demonstrou, de fazer conjunturalmente sacrifícios para garantir a médio prazo o crescimento da economia, o desenvolvimento económico, o fomento do emprego, enfim, aqueles objectivos que justificariam um sacrifício presente para alcançar uma vantagem futura. Nada disso.
O resultado destes sacrifícios é estagnação económica, mais desemprego, menores salários, mais encargos. E quem ganha com isso? Antes de mais vão ganhar todos aqueles que tiverem de pagar menores salários, aqueles para os quais forem transferidos os bens públicos rentáveis e, obviamente, o capital financeiro que, continuando a fazer empréstimos a preços especulativos, duplicará, triplicará, facilmente os lucros e terá por aquela via garantida o reembolso da dívida…que não cessará de crescer.
(...)
boneco de Enki Bilal

4 comentários:

Luis Serpa disse...

Cara Ana Cristina,

Parece-me que está a ser um bocadinho injusta para com o capitalismo. Afinal de contas, não creio que tenha havido outro sistema económico que tivesse proporcionado simultaneamente tanto bem estar, tanta liberdade a tanta gente.

É verdade que a versão caseira do dito deixa um pouco a desejar - mas é por defeito, não por excesso.

Claro que se acha que em Cuba, Coreia do Norte, na então União Soviética, na China de Mao, no Cambodja de Pol Pot, no Laos se vive melhor do que em qualquer país capitalista fico sem argumentos.

Ana Cristina Leonardo disse...

Caro Luís Serpa, ninguém no seu perfeito juizo, julgo eu, mas há malucos para tudo, dirá que se vive melhor nos países que refere. Por isso, essa questão nem se me põe. Porém, se clicar ali ao lado na vinheta da campanha contra a fome, e se se der ao trabalho de ler os dados da FAO talvez fique com uma ideia acerca de quão bem se vive no mundo. E o argumento de que antes seria pior (ou melhor) é indiferente para a conversa. Vá dizer isso aos tipos que estão a morrer subnutridos enquanto nós compramos ração de qualidade para cães (eu, pelo menos, compro)O capitalismo é um sistema predador e autofágico. Não tenho qualquer alternativa na manga, mas isso não me impede de ver o que se passa, para além do conforto (que estremece neste momento) do meu lar europeu neste país à beira-mar sentado onde prefiro viver a viver nos que refere. E, então?

A. L. R. disse...

COELHO/SÓCRATES= ZWILLINGSBRÜDER.
A coisa está preta e não é com estes que vai melhorar. A Merkel já não quer pagar a incompetência destes fulanos armados em novos ricos e por isso o que aí vem será uma tristeza...
Transmontana

FALIDO disse...

Os gajos que vão ter os salários reduzidos em 5% (coitados!), são os mesmos que exigem o aumento dos impostos que o povinho terá que pagar para poder comer pão, beber leite, mandar os filhos à escola, etc, etc. Com isto, o estado vai "ganhar" dois mil milhões de euros, mais-coisa-menos-coisa, até ao fim do ano. Segundo se sabe, Portugal pede lá fora mil milhões de euros por mês, pelo que vamos ter dinheiro para pagar dois meses de empréstimos! E o resto? Só espero é que não cortem na "esmola" da inserção social, porque então é que a coisa vai ficar mesmo preta cá para os lados do já Falido!