22/04/10

Quando for grande também quero ser famosa, ter utilidade política, comprar uma valise à carton e fundar uma associação em defesa dos flamingos*

Nunca gramei do género queques de esquerda. Queques por queques, prefiro os autênticos, os da Linha, e não me estou a referir à concorrência.
Sendo eu ainda do tempo do a menina pecebe?, em Cascais a malta sempre ia à praia e o mar, como se sabe mesmo sem ter lido a Murdoch, é uma coisa que areja a cabeça e o resto.
Quando olho para a Inês de Medeiros, sinto-lhe a falta do mar. Ela, por seu turno, sente falta de Paris.
Ao fim de vários meses sem saber quem lhe pagava as viagens para a Cidade da Luz, Lello teve voto de qualidade e pôs a Assembleia da República a entrar com o carcanhol.
Ou seja: je paie, tu paies, il paie, nous payons, vous payez, ils payent.
Esclareça-se. Não é que eu seja forreta. Não é sequer que eu ache que quem lhe deu emprego não devesse arcar com os tickets. A minha dúvida é outra: porque raio a convidaram? porque raio é a Inês de Medeiros deputada do PS e para mais por Lisboa?
E reparem. A minha dúvida é bastante anterior àquela sua singela declaração se Sócrates mentiu nem acho que seja muito grave (à propos, se ela não acha muito grave um primeiro-ministro mentir ao parlamento, porque carga d’água faz parte da comissão de ética do mesmo, mesmo sendo aquela a comissão de ética do mesmo?).
Bom, hoje fez-se luz. Parece que a deputada integrava uma lista de personalidades encabeçada por Figo, cuja simpatia e popularidade foi testada por um estudo de opinião realizado para a PT... Ou seria para o PS? Confesso que esta parte me escapou.
Enfim, seja como for, resolvido o caso, resta-me recordar apenas algumas das opiniões expressas por Inês de Medeiros quando esta ainda era só candidata e os contribuintes não tinham que lhe pagar as viagens.
Perguntaram-lhe.
E ela respondeu.
Touchant, n'est-ce pas?
Fiquei com uma dúvida: é mais caro ir aos Açores ou a Paris? É que se for mais caro ir aos Açores, o que suponho que seja, os termos em que é apresentada esta decisão é a xicaespertice mais xicaespertice de que tive conhecimento nos últimos tempos... ]

9 comentários:

Pedro M. disse...

Bolas o texto citado da deputada é um festival de bacoradas, irra.

jaa disse...

Eu até concordo. Mesmo. Todavia, sendo homem:
"Mas uma senhora é uma senhora. / Só vê a malícia quem a tem./ Uma senhora passa/ e ladrar é o seu dever ― se tanto for preciso!"
Alexandre O'Neill, Meditação na Pastelaria

;)

Ana Cristina Leonardo disse...

Pois é, e ainda falam da Laurinda Alves...

Joana Lopes disse...

Ora bem: viva a Laurinda! E o PCP que não esteve na votação mas diz que se teria abstido se lá tivesse estado.

fallorca disse...

Voilá!

Tiago Coen disse...

Eu, por mim, pagava-lhe, sem qualquer constrangimento, uma viagem de Lisboa para Paris, no mais alto escalão de preço, via Indochina, se for preciso, e no Concorde, até, ainda que para isso se tivesse que violar qualquer princípio ou determinação europeus, desde que essa viagem fosse só de ida!
E sem possibilidade de retorno!
;)

jpt disse...

Politicamente falando concordo totalmente com o comentador jaa

macaco do 1ºD disse...

Gostei muito de visitar este blog. Recentemente criei um blog pessoal que gostaria muito de divulgar por esta aldeia global. Se fosse possível colocar o meu link ficaria muito agradecido. Se o fizer, avise pf para o meu blog para que possa colocar o seu link também com todo o gosto. Forte Abraço e boa continuação!

http://naruadaamargura.blogspot.com/

lili-one disse...

N ojo, tudo isto só me dá nojo.