31/03/10

Grande momento de boxe: Morais Sarmento leva ao tapete o insuspeitíssimo Henrique Granadeiro e o vermelhíssimo Manuel Seabra

Se isto fosse um país normal, estávamos todos a aplaudir de pé o Nuno Morais Sarmento e o resto é conversa da treta.
Ver aqui. Clicar em Audição de Nuno Morais Sarmento.
1º Round rápido mas imperdível.

17 comentários:

nd disse...

De facto. Um banho naquele protótipo da cambada.

efe disse...

Aplaudo, pois. Assim se denuncia a incompetência e a má-fé que orienta os "filhos da madrugada".

Ana Cristina Leonardo disse...

o que eu acho estranho é que os blogues, à direita e à esquerda, venham ignorando este momento absolutamente soberbo.

efe disse...

Ana, os da "direita" não usam a cartilha agitprop, como também não costumam tomar de assalto as colectividades (associações culturais, recreativas e desportivas, que são esmagadoramente controladas pelos “filhos da madrugada”), como também não se esmeraram pelo controle da comunicação (a institucional, a social, e a policial). Quanto aos da “esquerda”, esses têm pudor em afrontar os “filhos da madrugada”, nomeadamente os mais caceteiros ou “filhos da noite”, até porque não se pode bater muito naqueles que foram, e que poderão voltar a ser, companheiros de luta contra a “direita”.
São estratégias dos “filhos de… qualquer coisa”.
;)

Anónimo disse...

Impressionante.
Até vou pensar se passo a gostar de boxe ou não.

Ele é com cada gancho! (é assim que se diz, não é?

Santa Páscoa.

Maria Helena

P.S.- Não se pode divulgar isto no Facebook?!

Ana Cristina Leonardo disse...

efe, não percebi essa da direita e da agitprop, mas volto a repetir que se isto fosse um país a sério as pessoas seriam capazes de reconhecer um bom momento político, mesmo se protagonizado, por hipótese, por um adversário

Maria Helena (posso deduzir o apelido pela santa páscoa?...), por acaso linkei isto no feicebuqe, que eu até já nem frequento muito

efe disse...

Ana, se a "direita" usasse a cartilha agitprop da esquerda, estaria agora a agitar, propagandeando, o conteúdo deste filme.
Esse tipo de aproveitamento é mais usado na "esquerda", ok? Ou seja, se isto tivesse acontecido, mas com os protagonistas em posições inversas, teríamos foguetório televisivo e caixa alta nos jornais. A "esquerda" é useira e vezeira nisso, e no resto que indiquei. Já a "direita", não sendo inocente, não costuma recorrer tanto a essas estratégias.
Claro, agora?

Ana Cristina Leonardo disse...

efe, mais claro é impossível. mas cá para mim talvez seja porque a "direita" (e "direita" há muitas...) também não gosta assim tanto do Morais Sarmento

fallorca disse...

Ana há tantas direitas como esquerdas, a menos que os portadores sejam manetas.
Vou às favinhas com salada e carnes fritas, mói-te! :P

nd disse...

Julgo que seja incómodo a blogueiros da especialidade congratularem-se com comportamentos como o de Morais Sarmento. O mesmo sucede aos taxonomiólogos da política. Andam com dois sacos no cérebro: um diz esquerda; outro, direita, sem saberem com clareza o que está dentro deles. Fora dos sacos, é o caos, o politicamente incorrecto, a desobediência civil.

Ana Cristina Leonardo disse...

Andam com dois sacos no cérebro: um diz esquerda; outro, direita, sem saberem com clareza o que está dentro deles.

Eu, em vez de sacos, teria escrito luvas; o resto assino por baixo

efe disse...

Ana, de facto não morro de simpatias por um dos mais destacados defensores dos 60 dias de mordaça imbecil no seio do PSD. Mas o palhaço enrubescido estava a pedi-las.
Obviamente, esquerdas e direitas há muitas, quase tantas quantos os eleitores.

Saúde.

Carlos Azevedo disse...

Brutal!!! Grande Sarmento!

Táxi Pluvioso disse...

Ele tem boas entradas...

Anónimo disse...

Naturalmente que sim.

Páscoa santa.

Maria Helena

Anabela Magalhães disse...

Este momento brilhante da política portuguesa tinha-me escapado por completo!
Obrigada, Ana Cristina, pela chamada de atenção.
Levei-o para o meu blogue para ampliar esta preciosidade...
Bj

Ana Cristina Leonardo disse...

anabela, faça favor