11/09/09

José Sócrates como nunca o viu: isto não é normal e nem os poetas lhe escapam

José Sócrates entrevistado por uma senhora chamada Raquel Alexandra.
Depois de umas generalidades sobre o Ricardo Reis que metiam trevos (???), um momento orgulhosamente só em que se garante que «aqueles que esperam uma ajuda externa, confessam a sua fraqueza» seguido da lancinante pergunta «José Sócrates chora?».
Ficamos a saber que depois dos 40 anos começou a «chorar no cinema com filmes enternecedores» (o que quer dizer que ou nunca viu o Bambi ou tem um problema com o canal lacrimal....) e ainda tempo para «fundamentalmente!» (e aqui note-se o suspiro à Herman José...) ir de Falcon «inaugurar uma das obras mais relevantes... que tem a ver com um lar de idosos...».
Foda-se e pardon my french, como diria o João.
Num momento em que a política lá fora se limita, mais coisa menos coisa, ao a minha é maior do que a tua (vide Sarkozy) nós preferimos meninos com lágrimas (retidas) ao canto do olho.
Lembramo-nos das casinhas e bate tudo certo. Mesmo com cheques-prenda na Fashion Clinic .

13 comentários:

N. disse...

Ah bom! vinha aqui dizer que por não veres TV andavas a perder estas cenas de ludopédio canalha, mas já vi que foste dar com a coisa.

Ana Cristina Leonardo disse...

N, vi a apresentação do programa na net - e ainda estou sem saber se ria ou chore.

N. disse...

não sei, suponho que tb ele quis ser "enternecedor" e, com isso, puxar à lágrimita dos espectadores.
pelo sim, pelo não, é melhor rir.

fallorca disse...

Compense-se a abstenção (não é futurologia) enfiando-lhe na urna cheques-prenda da feira de Carcavelos. Phónix, para não dizer porra!

Ana Cristina Leonardo disse...

N, tb. acho
Fallorca, o problema é que a abstenção não conta e os tipos se forem muito apertados ainda tornam o voto obrigatório - tudo em nome da democracia, claro

João Gonçalves disse...

Ana, gosto muito do seu blogue mas não confunda isto com o "cavaquismo". O Cavaco nunca fingiu ser o que não era. Um bj.

Ana Cristina Leonardo disse...

João Gonçalves, "reciclado"; mas isso daria pano para mangas. e obrigada por gostar do meu blogue

Táxi Pluvioso disse...

Chorar no Bambi era do foro feminino. No tempo em que havia essa separação. Só me lembro de ter chorado no "Garganta Funda".

Só gostaria de perceber por que a velhota do PSD não fez como os outros "líderes" e foi ao programa. Que é uma tradução portuguesa de algo que o fofinho presidente Báráque e os políticos USA fazem.

Anónimo disse...

Grande Táxi!
O que dizer de poetas seus conterrâneos que frequentam esta pastelaria e dedicam livros à mãe, armados em Eugénio de Andrade?
Adianto a resposta. A maralha da extrema esquerda dá-se mal com a democracia e não percebe, como diz o Nick Nicotine, que MLF é diferente de MILF.
Do anónimo que já não dorme com tanto dislate

Ana Cristina Leonardo disse...

Táxi, Só me lembro de ter chorado no "Garganta Funda".
foste um rapaz precoce, portanto

Que é uma tradução portuguesa de algo que o fofinho presidente Báráque e os políticos USA fazem.
... para fofinhos basta-me o sócrates, e não preciso de ir mais longe

João Lisboa disse...

"Chorar no Bambi era do foro feminino"

O tanas. Numa biografia do Tarantino, a mãe dele conta como, desde pequenino, sempre lhe deu completa liberdade de ver todo o género de filmes, do gore-tripas-de-fora a tudo mais que lhe desse na real gana. Sempre imperturbável. Só, durante o Bambi, o viu a chorar que nem uma Madalena.

Por acaso, no Garganta Funda, ri até às cãimbras.

Anónimo disse...

...duvido profundamente que esta senhora alguma vez tenha visto o " Garganta Funda"!
- Olhe que não!
- De táxis e fogareiros... ela nada percebe a olhos vistos!!!

Táxi Pluvioso disse...

Precoce?? Chorei por ser um drama de uma mulher que quer e não consegue... é um drama existencialista humano.

Tarantino a chorar no Bambi só prova que ele é uma gaja.