07/08/09

Dias felizes

É final de percurso. Ficam ali junto ao jardim, vazios e silenciosos, e o motorista, na espera, encosta por vezes a cabeça sobre o volante. Outras vezes anda cá por fora, mãos pensativas nos bolsos, zelando pelos pneus. Já assisti a um ou outro pontapé. À luz do fim do dia a cena torna-se absurdamente nostálgica e sem que eu saiba explicar porquê deixa-me sempre triste. Parece um quadro do Hooper. Hoje de manhã, foi só depois da cadela ter cumprido aquela parte do ‘vamos lá escavar um bocadinho à procura da Maddie’ que o vi sair detrás da árvore, aos pulinhos, ainda ajeitando as calças demasiado subidas. Não sei se corou porque, com grande sentido das conveniências, a cadela puxou-me na direcção oposta. Recomeçou a brincar com a trela e voltámos felizes para casa, exorcizado o Hooper.


10 comentários:

Anónimo disse...

Olá, há muito q n me sentava na tua pastelaria a saborear uma bola. Eis senão qdo me apercebo q apagaste a luz. Bem sei q a coisa 'tá preta, mas tanto? Bjs. Dóris

CristinaGS disse...

Noel Rosa, sempre!

manuel disse...

Excelentes muzkas e excelente imagem ali em cima!

Ana Cristina Leonardo disse...

Dóris, vê se apareces mais vezes e, para te falar com franqueza, até já esteve mais preta
Cristina, sempre!
Manuel, ainda bem que gostas. Estamos cá para agradar aos fregueses

Táxi Pluvioso disse...

Ó diabo isto ficou de obâmica cor. Ele merece, é um Sócrates do outro lado do Atlântico, é nosso. bfds

Ana Cristina Leonardo disse...

Táxi, obâmica cor tb. me parece um exagero. E tomara o Sócrates ter o bronzeado dele. Bom fds.

Anónimo disse...

Dias felizes? Por ver um motorista urinar? O creme das bolas que serve azedou de vez?

Ana Cristina Leonardo disse...

Leu mal, leu mal, anónimo. E não venha para aqui urinar, perdão, destilar veneno porque não vale a pena. Dedique-se antes à agricultura. E seja feliz.

Anónimo disse...

Não vim aqui urinar. Sou feliz sem esse seu fetiche. Parece-me é que a ACL, pelo conselho que dá, é perita em nabos.
Se enxergue coroa!

Ana Cristina Leonardo disse...

qualquer dia tenho de dedicar-me a uma dúvida que me assalta ciclicamente: porque será que a maioria dos anónimos é parva?