07/05/09

A propaganda dá sempre merda!

Estou francamente farta do assunto. Que volte a ele significa que a propaganda resulta. Num mundo ideal não devia. Não vivemos num mundo ideal. Ah! pois é.
O último 1º de Maio gerou um "não acontecimento". As escaramuças entre Vital Moreira e alguns participantes da manifestação convocada pela CGTP para a data transformaram-se num caso nacional, e até o primeiro-ministro veio dizer que se tratara de "uma vergonha para a democracia".
Uma onda de indignação varreu o país porque o candidato europeu fora injuriado, esmurrado, pontapeado, enfim, ferido no mais fundo da sua alma e à superfície da epiderme também.
Até hoje, não vi nenhuma imagem que comprovasse tais factos. Mas, como diria Goebbels, um mestre da propaganda, uma mentira repetida muitas vezes torna-se verdade.
Saramago, diz-se que convertido já na terceira-idade aos valores democráticos, cumpriu o seu papel de bardo e falou alto.
Num artigo em que a partir do segundo parágrafo desata a referir-se a si próprio na terceira pessoa, como se do rei de Espanha se tratasse, e, significativamente intitulado "Expulsão", pede identificações e exige purgas.
Entretanto, vão-se trocando galhardetes em praça pública, pedidos de desculpa, mais galhardetes e mais pedidos de desculpas. Não se trocam bengaladas nem sapatos.
Depois alguém vem acrescentar que, pelo menos um dos arruaceiros, não era do PCP. Era do Bloco de Esquerda. Dão-lhe nome. Dão-lhe rosto. Rosto que o BE terá apagado do seu site, à semelhança do que Estaline fizera a Trotsky.
Chegada aqui, perdi-me.
Perdida, só quero dizer o seguinte porque eu cá não nasci das ervas: mentir é muito feio, andar à cata de pessoas é muito feio, denunciar é muito feio... e brincar com o Photoshop também, pelo menos às vezes.
Quanto ao Goebbels, que sem dúvida era um mestre, acabou mal. O pior, claro, tinha sido o resto.

12 comentários:

fallorca disse...

Como diria o «outro», não lhes perdooes porque eles SABEM o que fazem. Pqp!

Nuno Ramos de Almeida disse...

Ana Leonardo,
Que eu saiba, nem o BE tinha a foto no site, nem lhe apagou o rosto. Estraga uma boa história, mas é verdade.

forasteiro disse...

O Benfica não sendo campeão, a história para se falar é a do 1º de Maio...dassssss
óh pátria lusa que tais fdp tens...

João Lisboa disse...

Notar bem: a candidata Laurinda permanece um exemplo de santidade no meio da barafunda. Há que saber recompensá-la.

Carlos Azevedo disse...

Eu já me perdi há muito, e este país já se perdeu há ainda mais tempo! Mas a verdade é que conseguem o que querem: não se fala de outra coisa. Somos quase levados a acreditar que nada de grave ocorre no país...
Andar à cata de pessoas e denunciar é muito feio, assim como é horrível falsear a realidade, com ou sem Photoshop. E a esquerda, para grande desgosto meu (que nesse espaço me situo, embora já não saiba bem onde), é uma especialista nisso. Quem brinca com o fogo...

Nocturna disse...

É verdade ! em vez de andarmos a falar dos milhares de trabalhadores que ficam sem emprego diariamente, falamos destes «não acontecimentos».
Em anos de eleições TODOS os partidos deveriam ter outras preocupações, mas como diz Carlos Azevedo, acima,até a esquerda por mal dos nossos pecados já perdeu a cabeça à muito tempo.
Quando para dar chama a uma campanha, é preciso descer tanto, é mau sinal .
Isto pode acabar muito mal ...
Um abraço desanimado
Nocturna

nd disse...

Virei anarca e não posso nem sei ser outra coisa na realidade em que vivemos. Não me revejo no hemiciclo nem haveria assento para uma teoria política que não existe. Levam-nos a isso e a muito pior, o que é mau para determinado tipo de liberdade que ainda se vai tendo, cada vez mais vigiada e restringida na sua expressão, refiro-me à liberdade de opinião como a que aqui se pratica. É um gosto lê-la.

Anónimo disse...

Esta malta da esquerda não democrática não tem emenda.
Vital Moreira integrava um grupo do PS que foi convidado pela CGTP. Foi empurrado e injuriado. Disso há que tirar consequências.
Oh Ana Cristina! Deixe lá o Reich em paz.
Seu,
Chefe Hernâni

Ana Cristina Leonardo disse...

Nuno, mesmo que o BE não tenha apagada a foto, a história é a mesma. Acabou em bufaria. E eu não disse que apagou (disse "terá apagado", reportando-me a notícias que não linkei porque traziam o nome do "tal" arruaceiro e isto aqui é uma pastelaria decente não um departamento do SIS)
João, por falares em Laurinda, há muito que não visito o Peixoto...
Carlos e Nocturna, pois é, a esquerda...
nd, obrigada por gostar de me ler
chefe êrnani, esqueceu-se das receitas. as de democracia não vale a pena, até a dormir as consigo dizer de cor;
mas já agora só uma nota: noto que Vital, no seu comentário, de agredido passou a empurrado. bom, ele estava numa manif., aquilo é como os antigos bailes de garagem: a malta sempre se vai chegando e empurrando...

Anónimo disse...

Mesmo que o Vitalinho não tivesse levado todo aquele ambiente não cheira a 1º de Maio de verdade. Cheira apenas a fanatismo, inveja, ressabiamento e outras coisas mais que todos os seres humanos inteligentes já se aperceberam. E por agora é tudo. Abraços de Maio e de Abril mas sentidos à maneira da velha Democracia. António Santos

Anónimo disse...

Acho que na Coreia a festa do 1º de Maio foi uma taradice. Liberdade a montes. A malta protestou, chingou os gajos, atirou-lhes ovos idênticos aos da Fenprof. Foi um delirio. Para oi ano quer ver se arranjo bilhete do comité central do PCP para lá ir à festança Estou mesmo a precisar de banhos de multidão em democracia. Lela

rui g disse...

«Notar bem: a candidata Laurinda permanece um exemplo de santidade no meio da barafunda. Há que saber recompensá-la»

Tão veemente paradigma da bondade merece o nosso voto...

Ana: Daquilo que tive oportunidade de ver, acho que tudo não passou de uma tempestade num copo de água. Foi mais um exemplo do provincianismo portuga.