03/02/09

Ambiguidas semânticas

Dpois de ler que o ministro do Trabalho e da Solidariedade Social disse hoje desconhecer que haja empresas a aproveitar a crise para fazer despedimentos, garantindo que se existirem serão "sancionadas", assaltou-me uma ciberdúvida.
Dado que o verbo sancionar é habitualmente usado no sentido de ractificar ou confirmar (dar sanção a...), embora o substantivo sanção também possa significar pena ou castigo, perguntei-me se José António Fonseca Vieira da Silva teria mesmo empregue a palavra no sentido menos corrente. E isto, não porque ponha em causa o domínio da língua do referido ministro, mas mais derivado ao facto de se preverem 230 milhões de desempregados em todo o mundo até ao final de 2009 (cerca de 50,5 milhões mais do que o número registado em 2007) e não me parecer que alguém esteja a ser "sancionado" por isso.
Robert Wyatt disse numa entrevista a Rui Tentúgal (Expresso/ Actual de 5/10/2007) que ao capitalismo não interessa que toda a gente morra à fome porque aí desaparecem os consumidores. Basta que as pessoas tenham dinheiro para comprar Coca-Cola, hamburgueres e discos da Britney Spears. Mas, com tanto desemprego, conseguirá Brit sobreviver? E nós com ela?

9 comentários:

Milu disse...

Atiram com o barro à parede e depois não querem que fique lá agarrado! Se prevêem tantos despedimentos e disso fazem alarde, então, porque estão a insinuar que os empregadores o fazem sem necessidade? Ainda não entendi, onde foram agora, os economistas e afins, desenterrar a tão iluminadora ciência, que lhes permite fazer conjecturas, apoiadas em determinadas estatísticas, quando não foram capazes de detectar a ameaça da crise, que há muito espreitava! E se espreitava! Sabe-se hoje, que haviam indicadores suficientes para alertar não a mim, comum mortal, mas os doutos senhores que para isso parecem ter estudado!Talvez a tese de doutoramento de alguns, tivesse sido elaborada por um neurónio criativo que não o deles! Não ajuda nada à crise atirar para o ar, sistematicamente, opiniões tão pessimistas!

manuel disse...

[nova pérola peixotal: «Acender um fósforo. A explosão de um fósforo na ponta dos dedos é um assunto simultaneamente intenso e frágil, como o coração de uma ave.»]

Ana Cristina Leonardo disse...

Milu, mentes sofisticadas como as dos economistas e afins constituem uma nata à parte que o comum dos mortais (desempregado ou não) nunca conseguirá alcançar
Manuel, já tinha visto... e até já tenho título

Anónimo disse...

olhe lá o chapéuzinho no substantivo, senão perde a razão toda!

Ana Cristina Leonardo disse...

anónimo, tirei (lhe)o chapéu. obrigada

fallorca disse...

Semantica de vinil.... fiufiufiu

Anónimo disse...

Assim é que é!

HB disse...

Sancionar vem de Sanção, e quer dizer «cortar o cabelo»!

Ana Cristina Leonardo disse...

helena, queres crer que tb. pensei o mesmo mas depois achei que era erudição a mais e não fosse o ministro ofender-se?