15/11/08

Glenn Gould + Mozart (para variar)

6 comentários:

info-excluído@pessoa disse...

Eu não percebo nada de Glenn Gould nem de Mozart, mas o piano, muito bem tocado, e as expressões do pianista (e os movimentos do corpo), não parecem seguir a mesma partitura.
Se calhar essa é uma prova de autenticidade.

Ana Cristina Leonardo disse...

apesar de não perceber bem o comentário, sugiro, então, que ouça sem ver; ver sem ouvir seria perder metade da graça da coisa

F disse...

Exactamente. Ao ouvir esta peça, que já conhecia, saltaram-me à vista as expressões do pianista e lembrei-me de outros casos que presenciei em que essas formas de concentração por vezes me distraíam. Mas esta música, como muitas outras, pode (e deve) ser ouvida de olho fechados, ou acompanhada de uma leitura, ou enquanto se consultam outros sites na internet.

fallorca disse...

E "vareias" muita bem. Grazie *

Ana Cristina Leonardo disse...

Gould é que vareia, fallorca, Gould é que vareia. e como o faz tão bem...

candida disse...

o glenn vareja as teclas e o dó, um bemol assumido, salta para o colo do fá e ambos volteiam em redor de si. dó-fá-si-si-dó-dó-fá-si