17/09/08

Claustrofobias

Eu nunca fui ao Alasca. Mas convenhamos que uma região que é conhecida por «The Last Frontier» tem apelo que baste. Sarah Palin comungará desse exotismo e talvez seja isso, acrescido ao facto de pertencer a um género que nem o profeta Sigmund foi capaz de perceber o que queria, que a torna tão popular. Tenho lido umas coisas acerca dela. Julgo saber que é contra o aborto, a educação sexual nas escolas, o uso dos preservativos e etc. Mas a questão que me encanina mesmo é esta: está ou não a possível futura vice-presidente dos EUA convencida que o mundo soma, contas feitas, 6 mil anos? Porque se a resposta for sim, sou levada a concluir que já nem a última fronteira me resta. Que era uma coisa que eu gostava de imaginar em segredo, para um caso de força maior.

5 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Então a última fronteira não era aquela que o capitão Kirk explorava? O espaço.

t.o r.k.m u.r p h.y... disse...

não vejo muitas diferenças entre democratas e republicanos... acho até, que estes últimos são mais autênticos, não dissimulados, deixam bem claro que não são "coisa boa"... quanto aos 6000 anos, acredite, ela só está esperando a oportunidade pra soltar mais esta...

Ana Cristina Leonardo disse...

Táxi, essa fronteira está acima das minhas possibilidades
t.or.k.mu.rph.y, quanto à autenticidade, estou com o Oscar Wilde: «A little sincerity is a dangerous thing, and a great deal of it is absolutely fatal».
Com a dissimulação não tenho problemas, o criacionismo é que me assusta

t.o r.k.m u.r p h.y... disse...

não se preocupe... é inconstitucional... :)
perigoso mesmo, segundo abracurcix, é o céu cair sobre nossas cabeças...

Ana Cristina Leonardo disse...

e citando, já agora, Obelix: Ils sont fous ces Americans!