05/08/08

Depois das massagens, proibido o fruto do pecado nas praias do Allgarve


Leia aqui.

8 comentários:

Cristina GS disse...

E não se pode exterminá-lo? De quando em quando aparecem personagens assim, que de tão reais até parecem artificiais. Mas o que mais espanta é que ninguém diz nada, ninguém lhes mostra a insanidade em que estão mergulhados e querem mergulhar os outros.

Táxi Pluvioso disse...

Tem toda a razão em proibir as maçãs. E deve proibir as beringelas também. Elas são irmãs das massagens.

E as bananas. Acho que foi depois de frequentar uma praia allgarvia que uma senhora se queixou ao seu ginecologista que lhe saíam sêlos pela vagina. Não são sêlos, minha senhora, são etiquetas da banana Dole - diagnosticou ele.

Ou devem proibir o allgarve tout court.

fallorca disse...

Ai eu em relação ao Al-Gharb, encontro-me allgures... Digamos que desisti

Anónimo disse...

Eu não poria as massagens e as maçãs no mesmo saco. Se a proibição das massagens é absurda, a das maçãs pode não ser (não sei os meandros da coisa): a não ser que se aceite que as autoridades decidam por si qual a publicidade ética e a não ética (nem se metam nisso!), um tipo tem o direito a estar descansadinho na praia sem nos vir à beira alguém de cinco em cinco minutos dar um panfleto de qualquer produto - sejam maçãs ou automóveis.

Por outro lado, debalde as boas intenções (esta história das maçãs têm a ver com cardiologia, acho), eu sei que, enquanto estiver vivo, estou sujeito a morrer de uma data de coisas, desde cancro de pele, de pulmão, enfarte e sei lá que mais: agradeço que me disponibilizem a informação em sítio adequado, mas que não me persigam com ela, como se fosse criminoso ou, pelo menos, irresponsável haver alturas do dia em que não queira pensar no assunto.

António

Ana Cristina Leonardo disse...

António, entendo o seu ponto (tb. me ocorreu a visão das praias invadidas por agentes de marketing e publicidade...) Mas não deixa de ser curioso que, na mesma semana, o homem tenha proibido as massagens e o fruto do pecado. Reconheço que é preciso azar...

N. disse...

nas praias que eu frequento nunca vi massagens ou maçãs. Quer dizer, faço os possíveis por me afastar o suficiente para não ver as intimidades debaixo dos chapéus de sol de cada um.
Fallorca, tens disso prái na tua zona de areia?
quanto ao proibidor, só me apetece ser básica e dizer: fazem de tudo para serem notados!
tb está na entrada das praias um sinal de proibição de entrada de cães e a minha cadela vai todos os dias dar um mergulho depois dos passeios matinais (pelo campo, onde faz os chichis e os cócós)entre as 7,30 e as 8,00 da manhã. Ao passarmos pelo sinal de proibição de canídeos, estendemos a língua, depois eu digo uma asneira e ela faz a última mijinha.
o senhor proibidor que mande vir a marinha e a polícia marítima!

N. disse...

peço desculpa pela linguagem menos própria numa pastelaria conceituada como o é esta. Entusiasmei-me, tem dias.

Anónimo disse...

O estar e o ser salazarengo não é uma questão genética.
É do foro da epiderme que, neste caso, é mais profunda (vai mais fundo) que a derme,