24/06/08

Fernando, não lhes perdoes que eles não sabem o que fazem

Portugal já era uma marca. Chegou a vez do Pessoa. Ou como o próprio escreveu, pouco antes de morrer, «I know not what tomorrow will bring». Agora já sabe.

6 comentários:

Luis Eme disse...

talvez o cristiano ronaldo goste de ser uma marca...

o Pessoa? não obrigado!

fallorca disse...

"Nandinho, não lhes perdoes que os sacanas sabem perfeitamente o que andam a (tentar?)fazer..."

manuel disse...

Qualquer dia valorizam a marca "Pacheco" e ainda a cotam na bolsa.

Táxi Pluvioso disse...

Agora tudo é marca. É uma moda, como o gerúndio em inglês, que os portugueses tanto gostam. Já se pensa em portuguesing e ronalding.

O único poeta português com real valor literário é Teixeira Pinto. Que esse não seja deturpado ou vendido barato.

Ademar Santos disse...

(...)
"Filhos da puta! Não, que nem
ha puta que os parisse."

Álvaro de Campos

Sirod disse...

Boa; será q é c isto que vamos sair da crise!

Se tivessem lido Mário de Sá-Carneiro, o gémeo esquecido de Fernando, talvez o Ministério do Marketing percebesse este poema:

"- Quando eu morrer batam em latas*,
Rompam aos saltos e aos pinotes -
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços e acrobatas.

Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza:
A um morto nada se recusa,
E eu quero por força ir de burro..."

* leia-se "marcas"