15/05/08

Adenda ao post «A Pastelaria convida mas não garante bolas de berlim»

Só para informar que no lançamento do livro Joaninha, a menina que não queria ser gente, que será apresentado por Gonçalo M. Tavares já neste sábado, dia 17, às 15h30, na Livraria Bertrand da Avenida de Roma em Lisboa, embora se confirme que não haverá bolos, serão distribuídos champanhe e cerejas.

8 comentários:

manuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
margarete disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
margarete disse...

já li o livro e recomendo!
fizemos uma leitura em roda, leram todos, x páginas a cada um - o moço de 9anos, os avós, o pai, a madrasta boazinha e a tia -
devo dizer que o moço, detentor do do livro, aguarda o II volume, explicou-me que há ali algo que fica em aberto... o pata branca ainda tem explicações a dar :D
pediu-me para dizer que ficamos à espera , Ana Cristina... :)
Parabéns!

champanhe e cerejas soa bem :)
que corra td bem!

Ademar Santos disse...

Gosto de champanhe e mais ainda de cerejas, mas... não sei em que fado dos antigos ou modernos mora Lisboa. Por isso, não frequento.
Mas espero que a Joaninha se recompense...

Augusto Fonseca disse...

Gosto muito da ideia do livro apresentado pelo Helder Macedo e a ideia das cerejas com cerveja é magnífica. São tantas ideias fantásticas e depois o Helder Macedo é um homem alegre e nada soturno. Em vez dele não podia ser aquele tipo realmente alegre e bem disposto chamado Gonçalo Tavares com um M entalado?

Anónimo disse...

ACL: Gostava, se tal pudesse, de ler os artigos do Actual/ Expresso.Já pensou em os publicar, aqui, em diferido- mesmo duas semanas depois? Eu bem andei às voltas no Blogue DA Literatura, a ver se havia feed-back, mas não existia...
Que tudo corra bem no lançamento; e aponte já para o próximo livro: Ensaios? Aquele abraço. FAR

Ana Cristina Leonardo disse...

Augusto Fonseca, foi com grande prazer que convidei o Helder Macedo para a apresentação do livro. Acontece que ele só aceitava na condição de que fossem servidas cerejas com cerveja, o que nos pareceu um disparate. Lembrámo-nos então de Gonçalo M Tavares, que prometeu contar três anedotas. Voilà!

manuel disse...

fiz pub. resolvi baptizar o meu gato "pata branca", mas seria mais correcto, dadas as circunstâncias, "pata aleijada"...