08/11/07

O Almocreve das Petas e a Síndrome de Bartleby

Todos os bloguistas sofreram, sofrem ou sofrerão um dia da síndrome de Bartleby: a caixa de mensagens em branco e uma vontade danada de silêncio. A todos eles, recomendo a leitura deste post inspirador:

Temos andado ... assim!
... a cavalgar o mundo, perdidos nas distâncias e nas almas. Parecemos lobos em deserto puro. Mas não muito! Fugimos à nova noite negra política que se instalou definitivamente entre nós. Não temos nada a dizer, não temos nada a contar. Não adormecemos ainda mas também não vemos o sol. Estamos cansados de estar cansados. De nós, todo "o destino é insuportável". A canalha já pouco nos importa e as manobras de todos vós não deixam de ser um raminho de dia de defuntos. Podem ser assunto civilizador mas o relógio da vida está parado. Sempre, e continuadamente, parado. Quisemos descansar de tanto palavreado inútil, de tanta propaganda pífia, de tanta soberba. Por isso só nos ocorre esse lugar-comum quanto exacto: temos a vida e os governantes que merecemos. Mas estamos de volta. Para o que der e vier. Bom dia!
Isto, com a devida vénia, foi tirado daqui.

7 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

A caixa de mensagens em branco quando tal tinta for inventada...

ana cristina leonardo disse...

Táxi Pluvioso, será por ainda não ter injectado cafeína nos neurónios... mas qual tinta?

Táxi Pluvioso disse...

Vedo rosso! Agora assustei-me pensei que o Benfica tivesse ganhado alguma coisa.

Tinta branca. A caixa de mensagens fica em branco se as mensagens forem escritas a branco.

Táxi Pluvioso disse...

Então o blog ficou verde outra vez?

ana cristina leonardo disse...

são experiências, mas não acerto com as tintas.

Anónimo disse...

Ana Cristina Leonardo: Serão os ares da Lezíria que lhe predestinaram uma força anímica tão poderosa e esfusiante? Eu conheco um tal Eduardo Leonardo, grande jornalista aposentado do JN, que espero que esteja rijo e de boa saúde em Santarém.
Temos as " escritoras " do Cinco Dias, em grupo. Mas, a solo, e com uma força telúrica deslumbrante, só discortino a Ana. Claro, deve-se servir deste modus operandi para as lídes da Critica Literária. Mas, mesmo com todas essas compensações, realiza um trabalho admirável, de grande abertura e singeleza. Bis immer! FAR

ana cristina leonardo disse...

FAR, que simpático comentário logo sábado pela manhã! Muito obrigada, mas olhe que a força telúrica deste post peretence toda ao Almocreve das Petas. A inteligência e o talento desse blog é de se lhe tirar o chapéu!!!
- Sobre a Lezíria: eu sou algarvia. Da borda d'água