16/07/07

Melodramas inesquecíveis

Ano: 1970
Realizador: David Lean
Intérpretes: Robert Mitchum, Trevor Howard, Sarah Miles, Christopher Jones, John Mills, Leo McKern, Barry Foster, Archie O'Sullivan, Marie Kean...
Um drama amoroso e político passado na Irlanda do princípio do século XX que inclui Mitchum no seu melhor, um louco no seu melhor, John Mills, e uma soberba Sarah Miles que acaba com o cabelo cortado à escovinha. Conta-se que a famosa cena onde Rosy (Sarah Miles) se passeia de chapéu pela praia foi uma carga de trabalhos para filmar. Ou a luz não estava certa, ou o mar não estava certo, ou, ou, ou. No dia que em que todas as condições pareciam estar reunidas, David Lean chegou ao local de filmagens e... deu por falta das gaivotas. Foi preciso ir à vila mais próxima comprar todo o peixe disponível. Lançado ao mar, as aves lá apareceram a cumprir o seu papel no cenário. Grandioso. Um dos filmes da minha vida.

9 comentários:

manuel disse...

Oh Nunca vi :| Mas gosto muito dos filmes do Lean que vi. E há um, o "Brief Encounter", que é o mais belo filme que existe!! Tenho o dvd!

Mauro Castro disse...

Caio Fernando Abreu
Recentemente, abriu uma pastelaria aqui ao lado do meu ponto. O proprietário, para saudar a vizinhança, colocou uma faixa na frente do estabelecimento que diz o seguinte: Moro no Menino Deus, do qual Porto Alegre é apenas o que há em volta. A frase é do escritor Caio Fernando Abreu, antigo morador do bairro, que morreu de AIDS em meados da década de noventa. Ele pegava táxi aqui no meu ponto quase que diariamente.
Como li alguns de seus livros, aproveitava as corridas para uma tietagem amiga. Ele gostava. Era uma pessoa amável e alegre, apesar da doença que o consumia. Usava uma bandana na cabeça, ao estilo Cazuza, para disfarçar a perda de cabelo. Era uma época difícil para os portadores do vírus HIV. Debilitados, tinham pouco tempo de vida, em geral às voltas com tratamentos penosos. O coquetel veio muito depois.
Lembro que um dia ele pegou meu táxi para uma de tantas corridas para o Hospital da PUC. Informei-o que havia visto um outdoor com o anúncio de seu último livro. Curioso, ele me pediu que o levasse até lá para dar uma olhada. Lembro que parei na Avenida Silva Só em frente ao enorme painel. Ele ficou observando por algum tempo sem sair do carro. Acho que não gostou do que viu. Depois, sem comentários, pediu que o levasse para o hospital. Foi a última vez que o vi. Dias mais tarde, soube pela imprensa que havia morrido.
Acho que, se estivesse vivo, Caio Fernando Abreu gostaria de ver sua frase na fachada da pastelaria. Era um cara do bem. Talvez, até sentasse em uma de suas mesas em um fim de tarde qualquer e, entre um chope e outro, elaborasse mais um de seus contos fantásticos. Contos que um dia fizeram um taxista sonhar em ser escritor como ele.

ana cristina leonardo disse...

Manuel, assim não vale: esse é o meu próximo melodrama inesquecível
Mauro, o senhor é amigo de Fernando?

João Lisboa disse...

Estive ali,pá, estive ali!

Slea Head, na península de Dingle!

Assombroso Verão de chuva, frio e nevoeiro!... Oh a felicidade...

manuel disse...

http://www.dvdbeaver.com/film/

DVDCompare/briefencounter.htm

Ai, estive quase para fazer post agora, só não fiz com medo que nunca mais me falasses lol

manuel disse...

Na verdade eu já fiz um post sobre este filme na altura que comprei o dvd, mas foi num blog já morto. Tou à tua espera!

ana cristina leonardo disse...

Manuel, fico à espera do post
João, com o aquecimento global tás lixado

manuel disse...

Eu tava a dizer que tava à espera que tu fizesses o post Ana, se não fizeres então depois eu faço :)

ana cristina leonardo disse...

ok ok, amanhã, e boa noite