21/02/13

"O mestre e a prima do mestre-de-obras" ou isto não anda nada bem em lado nenhum



A primeira imagem é do carro pintado pela Joana Vasconcelos, numa escolha de cores que "incluiu o vermelho do Benfica, o azul do Porto e o verde do Sporting, mas também o amarelo-torrado e o rosa escuro. Juntas, caracterizam o espectro cromático que está presente na vida dos portugueses e que no IQ permite camuflá-lo para se movimentar na cidade", diz a própria.

A segunda imagem é do Ford 021C desenhado por Marc Newson em 1999.

Mesmo considerando que só o segundo é uma peça de design concebida de raiz e o primeiro apenas pintalgado, a evolução não parece muito prometedora. E nem vou falar de conceitos!

7 comentários:

fallorca disse...

Mas ela não ia a Veneza com um cangalheiro? Perdão, um cacilheiro

m.a.g. disse...

A artista transformer em versão XXL (ela incluída), não me diz rigorosamente nada. É tudo uma piroseira pegada, a armar ao kitsch ( se ainda o fosse...). Mas concedo que deve impressionar parolos e patriotas plastificados aos domingos e feriados.

alexandra g. disse...

Eu é que também gosto muito de anti-histamínicos :)

Q disse...

Estou com muita dificuldade a comentar.
É que para chegar aqui tenho de carregar nas bolas, de berlim, e levo a seguir com uma ameaça relacionada com o Relvas.
Não será isto antidemocrático, tal como cantar o Grândola?
Ainda faço queixa ao malhador SS.

Carlos Azevedo disse...

Este carro é medonho (e nem falo da explicação), mas gosto daquele sapato que ela fez com tachos e panelas, já lá vão uns bons anos.

fallorca disse...

Carlos Azevedo,
com tachos e tampões «performa» ela bem

Carlos Azevedo disse...

LOL