23/01/13

Desabafos

Vão desculpar-me o vernáculo, mas "ir aos mercados" só me lembra a expressão "ir às putas". Não sei mesmo se não serão sinónimos. 

6 comentários:

Miguel Serras Pereira disse...

Também a mim, claro. Mas há uma certa diferença, Ana: quem vai às putas, compra; quem vai ao mercado, vende-se. As putas é que vão ao mercado vender serviços, tornando-os ou tornando-se mercadoria. É assim - ainda que sem moralismos, ou só com esta moral: há serviços e mercados que, de compra ou venda que sejam, nem para atacadores, como diria o autor da epígrafe destas tuas meditações.

F.A. disse...

Curioso comentário.
Acontece segundo sondagens feitas aqui no prédio que 90% das pessoas acham que Portugal foi pedir dinheiro emprestado.
Eu bem tentei dizer que tinhamos vendido e os outros é que tinham comprado.
Só eu e um vizinho que me deve dinheiro acreditamos.

Anónimo disse...

Pois talvez sejam: putas, os mercados. Já aos nossos ex-"governantes" que dolosamente nos colocaram nas mãos dessas putas, de cujos préstimos nos tornámos tão dependentes, e que seguem impunemente com as suas tão confortáveis vidinhas, por cá ou pelo estrangeiro, alimentadas directamente ou por interposta empresa do regime, a voluptuosas doses de dinheiros públicos, chamaremos o quê?

Costa

Anónimo disse...

Assim sendo somos todos (e todas) putanheiros...

fallorca disse...

Cuidado com os esquentamentos!

Anónimo disse...

Seja como for, o certo é que estamos todos fodidos e mal pagos.