18/04/12

"É preciso haver inteligência" [e esta senhora tem-na]

16 comentários:

Carlos Azevedo disse...

E não é gaga:

«Eu a esses investigadores e peritos mando-os bugiar!»

«Os sindicatos têm discurso de adolescente.»

«Eu não tenho que ser perita em nada, porque a maior parte dos peritos são uma nulidade.»

«A pedagogia é complementar.»

«O objectivo é canalizar para a escola privada e para quem pode.»

«Há pessoas que se perdem precisamente pela sua condição social.» [é pô-la a falar com a Helena Matos]

«Para quem é, faz-se qualquer coisa.» [idem]

Carlos Azevedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mjm disse...

Esta mulher é uma lutadora e sem medo, há anos que diz isto.
ME é surdo!

Ana Cristina Leonardo disse...

obrigada, Carlos. já corrigi.

sem-se-ver disse...

o mais importante do que ela disse, contudo, foi: não nos tratem como se fossemos estúpidos. sejam honestos e reconheçam que é por razões económicas.

de resto, esteve mt nervosa (talvez), mt titubeante - a indignação é justa, sincera e legítima, mas atrapalhou-se muito na altura de explicar as respectivas razões. o discurso não foi claro quanto a esses argumentos, mas foi mt eficaz pois é tão genuíno que teve com certeza muita força persuasiva.

Ana Cristina Leonardo disse...

sem-se-ver, falasse ela com a acertividade da maria de lurdes e eu não acreditaria nela 1 minuto. no estado a que as coisas chegaram, estar "nervosa" é o mínimo que pode acontecer a um ser humano decente.

Passaroco disse...

Obrigado pela partilha.

luis reis disse...

Há muitos anos que a ouço e vejo.
Reparem, que tentaram, "chamá-la" ao Ministério,porque: TINHA ESCRITO UM LIVRO!Pois è enganaram-se.Azar do Nuninho meloso...
Ai o Nuninho,esse, andou a "convidar",por esta banda, tudinho muito à pressa,ora pela Sobreda da Caparica,ora em Almada e pelo telefone,tudo o que lhe "cheirasse" a fina flor do entulho ideològico, é o caso do rapazola do CDS,actual secretário de estado da Educação,Jõao Casanova que è uma personagem/professor,"muito bem"
entre os seus pares, aqui deste lado...ui,ui, nem Maomè do toucinho!

Ana Cristina Leonardo disse...

A Maria do Carmo Vieira que me perdoe: assertividade!!!! (vou escrever 100 vezes)
Obrigada, ó gentil anónimo

cdavid disse...

Excelente! Concordo com quase tudo o que a Maria do Carmo Vieira diz (e di-lo de facto há muito tempo.)

O "nervosismo" é compreensível quando se tem que falar para surdos de evidências mudas vindas de arrogantes intelectualmente desonestos. A estupidez "enerva" - qualquer pessoa sabe isso. E há hordas deles, nos centros de decisão escolar/ministerial/educativo, prontos a contrariar paternalisticamente a inteligência desta mulher com múltiplos "estudos" rasteiros, demagógicos e académicos.

O detalhe do "investiga em quê?" é precioso! Esta gente é caninamente provinciana e ainda vive presa aos diplomas pendurados na parede; mas são desgraçadamente quem decide.
Pena que a Maria do Carmo Vieira não tenha, pelo menos, mais tempo de antena, e em horário mais nobre; porque é isso precisamente, parece-me, que ela tenta fazer: restituir aos professores alguma réstia de nobreza.

Muito obrigado, Ana cristina Leonardo, por ter disponibilizado e destacado esta entrevista. Ainda não tinha tido oportunidade de a ver. E merece ser vista. Muito.

Ana Cristina Leonardo disse...

a estupidez enerva e de que maneira!

Carlos Azevedo disse...

«E há hordas deles, nos centros de decisão escolar/ministerial/educativo, prontos a contrariar paternalisticamente a inteligência desta mulher com múltiplos "estudos" rasteiros, demagógicos e académicos.
»

cdavid, no ME e nos outros. Ainda hoje o ministro da economia tentava convencer algum papalvo -- para além daqueles quem o escutam com gosto e acenam que sim antes dele falar -- de que há estudos que indicam que as indemnizações por despedimento devem ser mais baixas -- e depois comparou-nos com o resto da Europa sem se rir. A desonestidade e a imoralidade desta gente não tem limites.

Carlos Azevedo disse...

sem-se-ver, no que concerne à defesa da inteligência dos professores, o que refere foi o mais importante. Em termos gerais, o mais importante -- e grave -- do que ela disse foi: «eu também já vi escolas a mandarem crianças de ascendência africana para as escolas que eles consideravam piores porque acham que as crianças de ascendência africana eram... era uma atitude racista». Isto é grotesco.

Carlos Azevedo disse...

Por falar em grotesco na educação: http://adevidacomedia.wordpress.com/2012/04/19/jota-ene-parte-ii/

(subscrevo as palavras do Miguel, uma por uma. e começo a concordar com algo que a Ana Cristina escreveu há uns tempos: «as pessoas decentes deviam emigrar e deixar isto para os canalhas»)

cdavid disse...

Carlos Azevedo: É verdade; o exemplo dessa afirmação do ministro da Economia é do mesmo calibre. A absoluta falta de qualquer pingo de vergonha ou honestidade.

F disse...

O estado de (eventual) "tensão" em que esta professora se encontra vem de um bloqueio resultante da sua revolta e indignação com tanta coisa, que se torna difícil escolher entre tantos exemplos chocantes de que ela terá experiência e conhecimento.

Escolher as palavras acertadas para comunicar esta sua experiência, em tão pouco tempo, pode bloquear o mais comum dos mortais. Acho que dá para sentir um certo desespero contido.

Para mim, ela consegui-o na perfeição. A forma genuína e honesta como ela comunica é mais que esclarecedora do que por cá vai em termos de ensino.

Ainda bem que há gente como ela (que ainda não emigrou!).
A luta pode ser mesmo inglória.