10/03/12

Novilíngua: tem a palavra o ministro da propaganda

TAP e CGD não são excepções mas sim adaptações, Miguel Relvas

6 comentários:

Carlos Azevedo disse...

Muuuuuuuuuuuuuuguel?!

(mas, tens razão: há que chamar os bois pelo nome :-)

Ana Cristina Leonardo disse...

óculos, carlos, óculos

Fado Alexandrino disse...

Não tenho particular simpatia nem por este nem por nenhum governo e só frequento blogs onde possa aprender e por isso causa-me pena que aqui (mais) e noutros menos se esqueça a totalidade das afirmações aliás explanadas no link e que são:
O Governo aceitou manter os salários dos trabalhadores da TAP, mas a companhia aérea comprometeu-se a poupar mais de 73 milhões de euros, segundo dados divulgados na quinta-feira pelo Ministério das Finanças.
Penso que mesmo o fulano de 1984 o Smith teria dificuldades em escrever isto de maneira diferente mas tudo é possível.
Melhores cumprimentos pela saborosa crónica de hoje no sítio do costume onde hoje também se escreve uma página negra contra a independência.

Ana Cristina Leonardo disse...

O que não falta por aí é malta poupada a quem nada é poupado. De qq forma, nem é isso que está em causa. O que está em causa é o jogo de palavras: excepção versus adaptação. Brincamos...
obrigada pelos cumprimentos.

henedina disse...

Gostei, sobretudo pelo esclarecimento que o(s) subsideo(s) mantem-se os prémios vão acabar. Porque afinal havia premios para uns funcionarios publicos é menos 14%, para outros, vão-se retirar os premios.

henedina disse...

É facil governar assim cortes cegos deitando ao lixo milhoes de euros já investidos e ao lado desperdicio de milhoes de euros para os mesmos intocaveis.