23/01/12

Pérolas da coroa

Os ingleses tinham a Índia, nós temos os pastéis de nata. “Ter” é melhor do que “ter tido” e o futuro a Deus pertence. A Deus ou à China.

Na China, os nata chamam-se dan ta e são muito apreciados. Nunca fui à China mas soube que Chris Patten, último governador inglês de Hong Kong e fanático das portuguese egg tarts, numa recente viagem ao território chegou ao aeroporto e disse: “Desembarquei às 16 e às 17.15 já estava a comer um pastel de nata”.
Dado que tal confissão é anterior à escandalosa comparação feita por Álvaro Santos Pereira entre pastéis de nata e frango no churrasco (“Será o pastel de nata diferente do frango no churrasco?”), devo concluir duas coisas.

Uma, é que os ingleses, não contentes por nos andarem a intrujar com Tratados desde 1373, nos querem agora roubar o nosso pastel de nata!
Outra, é que o ministro, ao comparar o incomparável, prova ser um péssimo gourmet, facto que – insondáveis são os caminhos da mente – me fez de súbito lembrar um verso de Mário Quintana: O que tem de bom numa galinha assada é que ela não cacareja.

Mário Quintana/Brasil, Brasil/ “árvore das patacas”, expressão que, naturalmente, me ocorrera ao ler Catroga: “50% do que eu ganho vai para impostos. Quanto mais ganhar, maior é a receita do Estado (…), isso tem um efeito redistributivo para as políticas sociais”.
Se alguns viram aqui um exemplo acabado de “pensamento mágico” descabido num economista; outros, um insulto aos portugueses a quem se exige sacrifícios diários, férias e feriados incluídos; logo houve quem declamasse Pessoa: Quem quer passar além do Bojador/Tem de passar além da dor.
Algo semelhante fora dito em prosa pelo Almeida Santos: “O povo tem de sofrer as crises como o Governo as sofre”. E não foi assim há tanto tempo.
Imagem

6 comentários:

anamar disse...

Gostei, como sempre, desde que a descobri,do seu post.
Fiz link meu Mar à Vista.
:))

Ana Cristina Leonardo disse...

Obrigada.

Anónimo disse...

demasiadas citações, como é de costumbre

Ana Cristina Leonardo disse...

anónimo, eu gosto de citações.

Luís disse...

Há sempre uns gajos que nao gostam de citações.eu gosto das tuas citações.

Ana Cristina Leonardo disse...

obrigada, luís.