11/10/11

Grandessíssimas bestas!

Depois das aves raras do governo do defunto engenheiro terem dado luz verde para a destruição de parte da Linha do Tua linha que em qualquer país civilizado do mundo seria considerada património é a vez de a nova maioria aprovar o abate de milhares de árvores.
Estamos mesmo entregues às plantas*!

*(relembrando sempre Lewis Black: In my lifetime, we've gone from Eisenhower to George W. Bush. We've gone from John F. Kennedy to Al Gore. If this is evolution, I believe that in twelve years, we'll be voting for plants»)

11 comentários:

fallorca disse...

Entregues às ervas daninhas de Portvcale

m.a.g. disse...

Confesso que ainda cheguei a ter uma "crista" de esperança, mas "abaixou-se-me".
Afinal o que vale um sobreiro e uma azinheira no Alto-Douro Vinhateiro que por mero acaso é Património Mundial? E depois está lá para os confins, e é menos espécies arbóreas que ardem, e menos recursos que se gastam na extinção dos fogos, e porque a "EDP é a nossa Energia". ViVa!
CHIÇA!!

AMCD disse...

Estamos entregues às plantas, para não dizer pior, é claro.

Só não percebo por que razão não sem lembram de plantar sobreiros e azinheiras em igual número aos que vão cortar. Era uma forma de minimizar um abate chocante.

Qualquer dia só teremos eucaliptos de Norte a Sul.

MCS disse...

Tinha prometido a mim mesmo, depois daquela overdose de comentários, não me manifestar nos próximos tempos. Mas um homem não é de ferro, carago.
Basta amarrá-los aos bancos da carruagem desta forma:

http://novaziodaonda.files.wordpress.com/2011/09/viddy-well-little-brother-viddy-well.gif

durante toda a viagem do Tua e talvez, digo talvez, eles mudem de opinião.

Carlos Azevedo disse...

Como também participei daquela overdose de comentários, limito-me a um lacónico «É uma vergonha!»

fallorca disse...

Haja calma, estão apenas a deixar degradar a linha, para um «iluminado» se lembrar de nos «impostar» para a recuperarem.
Apostam?

Ana Cristina Leonardo disse...

Só quero dizer uma coisa: eu acho isto mais grave do que o Jardim ter vencido na Madeira.

fallorca disse...

Leoparda,
na Madeira o Jardim vence sempre. Flora autóctone, topas?

analima disse...

A verdade é que a avaliação de impacte ambiental apresentou esta como a localização escolhida e num dos considerandos do despacho diz-se que a EDP "apresentou proposta de medidas compensatórias prevendo a arborização com sobreiros
e azinheiras de terrenos com condições edafo -climáticas adequadas". Também sei que raramente estas medidas compensatórias ficam sequer perto de compensar os danos que se fazem no património, natural ou não.

Ana Cristina Leonardo disse...

analima, eu acho sempre extraordinário ver os humanos a destruírem o que está bem... para depois virem compensar a merda que fizeram. Quanto à EDP... sem comentários

F disse...

São umas grandes bestas, sim senhora!