09/09/11

O grau zero do pensamento ou deixem-me lá continuar de férias

Os meus pais ensinaram-me que a palavra vale tanto como a assinatura. Sei bem o valor de uma promessa eleitoral, António José Seguro, líder do maior partido da oposição em discurso considerado por alguns como fortemente crítico do governo.

Como é que chegámos a isto? Será alguma coisa na água?

4 comentários:

joshua disse...

Foi uma hipérbole. Nada de mais, coitado.

Carlos Azevedo disse...

Por falar em grau zero do pensamento, que tal esta pérola: «Importa por isso que o governo, os ministros, o primeiro-ministro e os deputados que apoiam a coligação arrumem rapidamente os seus complexos de esquerda [...]» António Ribeiro Ferreira, i, 09/09/2011

(Aqui entre nós, não aposto na água; cheira-me a coisa pior...)

Ana Cristina Leonardo disse...

Uma hipérbole de taxista...

Se o António Ribeiro Ferreira consegue ver complexos de esquerda neste governo, não é água de certeza o que ele anda a beber... Há quem veja répteis a subir pelas paredes; ele, pelos vistos, vai muito à frente...

Carlos Azevedo disse...

Muito à frente...