21/10/10

Politicamente são o que se sabe mas também precisavam de ter cara de parvos? [da série "já não há mafiosos jeitosos"]

André Figueiredo, chefe de gabinete de José Sócrates acusado de oferecer empregos à escolha e formado em Direito numa coisa chamada Universidade Internacional da Figueira da Foz, entretanto mandada fechar pelo Mariano Gago*
Rui Pedro Soares, militante do PS, ex-administrador da PT formado em marketing pelo IPAM com 13 valores, candidato a comprador do jornal SOL e apologista de criadas fardadas
Rui Paulo Figueiredo, ex-vereador da Câmara de Lisboa pelo PS, assessor do primeiro-ministro José Sócrates e ocasionalmente espião na ilha da Madeira
Paulo Penedos, ex-secretário nacional da JS, membro da Comissão Nacional do PS e candidato precoce a secretário-geral do partido quando o Guterres bazou
Fernando Medina, porta-voz do PS e grande conhecedor de blogues

Pedro Silva Pereira, ministro da presidência e, segundo o portal do governo, "autor de diversas obras e publicações na área do Direito" (sic)
Ascenso Simões, ex-deputado do PS, membro do Conselho de Administração da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos nomeado pelo governo

Nota: Pede-se encarecidamente aos clientes da Pastelaria que enviem fotos de outros canditatos à série JÁ NÃO HÁ MAFIOSOS JEITOSOS para leonardo(ponto)anacristina(arroba)gmail(pontocom).
As exigências são parcas.
1. Podem ser militantes de qualquer partido político
2. Dá-se preferência a candidatos até aos 50 anos
3. Valorizam-se os candidatos com cursos tirados ao domingo ou similares
4. Aceitam-se candidaturas de largo espectro: de grunhos a betos; de Vilar de Maçada a Massamá.
*acrescentado entretanto à lista

14 comentários:

Carlos Azevedo disse...

E mulheres?

Anabela Magalhães disse...

Com cara de parvos só os homens. :)

Manuel Vilarinho Pires disse...

Há todo um trabalho de investigação a fazer sobre os penteados destes homens. Porque é que os jotas se penteiam para trás com gel e os cotas fazem risca ao lado? O mais bem penteado é sem dúvida aquele mocinho que agora está na defesa... não, não é o Santos Silva, é o outro, o que vai muito à televisão, aquele que fingiu que se candidatou à CM Oeiras... esqueceu-se dele aqui?
Também se podia ter lembrado das Euro-meninas que fingiram que se candidataram às diversas CM, também trazem de Bruxelas uns penteados fescinantes, à ida levam o cabelo coladinho à cabeça e à vinda trazem-no insuflado, impulsionado sem dúvida pela estimulante actividade cerebral que Bruxelas lhes proporciona.
Qualquer coisinha é só dizer, estamos aqui para ajudar!

Luis Rainha disse...

És muito má. Mas sempre nos poupaste à carantonha do Vara.

Ana Cristina Leonardo disse...

Carlos, lá iremos (sugestões...?)
Anabela, olha que não sei - há tb. com cada uma!
Manuel, cotas e jotas já nem os consigo distinguir - são todos mais feios do que uma noite de trovões, como se diz na minha terra; quanto a sugestões: se fosse com nome era mais fácil.
Luís, não sou má - sou apenas objectiva. Estas criaturas parecem escolhidas a dedo (se calhar foram). E têm todas qualquer coisa no desenho das bocas... já reparaste?

Carlos Azevedo disse...

Anabela, continue a sonhar... :)

Ana Cristina, eu sugeriria a Edite Estrela, mas reconheço que tenho uma embirração qualquer com a senhora (é feio dizê-lo, mas o aspecto dela não ajuda) - vou pensar em mulheres mais meritórias da distinção.

Manuel Vilarinho Pires disse...

É muito fácil distinguir os jotas dos cotas: o jotas usam penteado para trás à Mao Tse Tung ou à Mário Conde, conforme as fantasias de adolescência de cada um, e os cotas usam risca ao lado. Confirme nas fotos. Não os tente distinguir pela condição de pensionistas, porque aí encontra tanto de uns como de outros.
Ao pedir nomes, obriga-me a puxar pela memória ou a fazer batota no Google: as meninas são a Ana Gomes e a Elisa Ferreira, o mocinho é o Marcos Perestrello. Isto na linha de negócio "candidata-te a uma câmara para perder que eu arranjo-te um emprego".
Mas há outras linhas de negócio...
Tem os sopranos da AR, o mãozinhas de veludo Ricardo Rodrigues, e o apelidado com um palavrão ainda desconhecido do grande público mas perdoou o insulto Afonso Candal.
O que nos leva a outra linha de negócio, os "filhos dos papás políticos que também vão para a política", que já aflorou, que não serão todos mafiosos mas têm quase todos uma cara que os torna elegíveis para o seu "post", de que se pode destacar o Paulo Campos, que também oferece empregos à escolha às loiras do BE a troco de abonecarem os tempos de antena do PS.
E por agora chega, porque não me quero sujeitar a levar um maçador processo judicial em cima se propusesse, por exemplo, o magistrado que solicitou ao governo "acesso aos documentos que autorizaram e atestam os montantes gastos pelos membros dos gabinetes dos 16 ministérios e dos secretários de Estado da Presidência do Conselho de Ministros e do adjunto do primeiro-ministro", como se o pedido me parecesse uma ameaça de chantagem que, essa sim, seria digna de um mafioso.

Anónimo disse...

… não incluam a Mafalda nesse rol que ela é uma “locomotiva jurídica” e não foi ganhar assim tão bem!
http://odolicocefalo.blogspot.com/2010/05/mafalda-coelho-moreira-nasceu-em-20-de.html

F disse...

Não vou conseguir. Já estou vomitando!

JARRA disse...

Os meus preferidos:
O baby face secr. do desporto Laurentino Dias, que já exercia Direito em Fafe, antes de terminar o curso.
O rapazinho Marco António, espécie de aprendiz de Valentim da outra margem.
O todo o terreno Valter Lemos.
Aquela Algarvia esganiçada, eurodeputada, Jamila de seu nome, descubra lá quem é o pai que lhe pôs um nome marroquino. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Jamila_Madeira).
E por hoje já chega

Ana Cristina Leonardo disse...

Obrigada a todos pelas sugestões. Vou investigar e já vos digo qualquer coisa.

Luis Eme disse...

não sei se foi para a fotografia, mas tem todos um ar cândido, um pouco "abichanado" (sem querer ofender as verdadeiras), as boas e os olhares dizem quase tudo... gente perigosa sem dúvida, principalmente se tiverem algum poder...

Luis Eme disse...

(bocas...)

Manuel Vilarinho Pires disse...

Tarde e a más horas, mas com uma proposta cuja qualidade merece uma extensão do prazo, apresento a candidatura do Dr. Oliveira e Costa, que excede largamente os objectvos em todos os parâmetros da avaliação.
Com uma explicação adicional.
Porque é que eu, que me proclamo de liberal, só nomeei até agora candidatos do PS, e este é o primeiro do PSD? Porque, considerando-me liberal, me identifico mais com o PSD do que com o PS? Errado! Porque, considerando-me liberal, considero a concorrência o mais importante factor de progresso, porque a eficácia da concorrência na política é tanto maior quanto mais quem está no poder tem consciência de que o pode perder e, portanto, prefiro sempre que quem está no poder venha a perder as próximas eleições, e nunca modero uma crítica com habitual desculpa "os outros fizeram o mesmo quando lá estavam".
Mas o Dr. Oliveira e Costa merece uma excepção e eu sei reconhecer a virtude quando a vejo.