02/11/09

Para manter a semana em alta [e os sisudos e sisudas que se lixem]

10 comentários:

Carlos Azevedo disse...

Ah, grande canção! Por razões que agora não interessam, é uma das canções da minha vida. A Dinah Washington interpreta-a maravilhosamente em "For Those in Love", de 1954, mas a versão da Billie Holiday, dos anos 30, seria a minha primeira escolha. Ou uma da Sarah Vaughan, gravada nos anos 50, que aparece em "Swingin' Easy".

(Se me é permitida a sugestão: http://www.youtube.com/watch?v=Y_JgVkqrpA4)

Anónimo disse...

...Maia uma facadinha e um pedido de casamento !Gosto mais dos sinceros ...

margarete disse...

...um motivo para vir a Coimbra ;)

Ana Cristina Leonardo disse...

Carlos Azevedo, escolhi esta versão pela tremenda alegria do vídeo e da interpretação.
Margarete, obrigada pelo convite

Ana Cristina Leonardo disse...

Anónima Ana Gaspar, já me esquecia de si.
Pediram-na em casamento? Alguém da câmara? E meteu facadas? Seja sincera, conte-nos tudo. E, já agora, diga-nos em que canal podemos continuar a seguir tão empolgante novela.

Carlos Azevedo disse...

Tendo em conta o recado deixado a quem quiser enfiar a carapuça, calculei que esse teria sido um dos critérios. Em todo o caso, o meu comentário visava apenas dar conta de um gosto pessoal; partilhá-lo, se quiser. Nada mais.

(Nada que me diga respeito, mas este blogue tem uma anónima com nome? Este mundo está mesmo muito estranho!)

Ana Cristina Leonardo disse...

Carlos, os sisudos e sisudas é assim a modos que o l'air du temps. Quanto à sua escolha, ora faz favor!
Sobre o mundo estar estranho, no caso, é só uma versão update da bufaria. A graça é que a tal anónima com nome parece que é militante da esquerda caviar (a própria dixit), seja lá o que isso for. Esta esquerda está mesmo muito estranha, isso sim.

Carlos Azevedo disse...

O problema de alguma esquerda é não saber assumir o que está para trás, o bom e o mau, e o que quer para o futuro. E isso, de facto, torna-a muito estranha.

(Não que a direita esteja melhor, mas com isso que se preocupem eles.)

Carlos Azevedo disse...

Apenas uma correcção ao meu primeiro comentário: afinal, não é no "For Those In Love" que se encontra o "All of Me", mas sim no "Dinah!", de 1956. Confiei na memória e não peguei no disco, mas está visto que (já?) não posso. Estou um "caco"!

bruno disse...

bom bom bom
(mai nada)