27/06/09

Não vamos mais longe: só pelos nomes que dá às coisas se vê que o Irão é um país esquisito

Guia Supremo: autoridade máxima do Irão em termos políticos e religiosos; desde 1989 ocupa o cargo Ali Khamenei
Assembleia dos Peritos: formada exclusivamente por 86 religiosos de carreira eleitos por sufrágio universal depois das suas candidaturas serem aprovadas pelo Conselho dos Guardiães; nomeia e pode eventualmente demitir o Guia Supremo
Conselho dos Guardiães: composto por 12 juristas e clérigos (metade metade) nomeados pelo chefe do poder judicial, tem poder para vetar leis que contrariem a Constituição ou/e a Charia, devendo ainda aprovar (ou não) os candidatos a Presidente, deputado ou a membro da Assembleia dos Peritos
Conselho de Discernimento do Interesse Superior do Regime: é composto por 22 membros nomeados pelo Guia Supremo e serve de órgão de arbitragem entre o Conselho dos Guardiães e o Parlamento
Corpo de Guarda da Revolução Islâmica: organização paramilitar que depende directamente do Guia Supremo e que existe em paralelo com as forças armadas regulares

Claro que os fãs d' O Senhor dos Anéis poderão chamar um figo a este organigrama, mas eu pessoalmente nunca fui muito à bola com o Tolkien. Confesso.

4 comentários:

Dioniso disse...

Será um atraso em relação ao desenvolvimento, dito inelutável por alguns, da democracia ou está na psicologia profunda dos neo-persas?

Táxi Pluvioso disse...

Claro, por isso é que amamos o presidente Báráque e "as coisas dos nomes" que lhe dão.

Bom... "o carrasco de Beirute" ser agora um herói democrático pode confundir as pessoas... but hail Youtube!

Anónimo disse...

Acudam, o vírus socrático, o dum-dum da asneira, mordeu a Aninhas. Como será possível uma linguagem destas?!? Como se chega a este estado de debilidade anacrónica?!? O Irão está na Hora H da Mudança, mais cedo ou mais tarde!

Ana Cristina Leonardo disse...

Anónimo, há quanto tempo...