17/01/09

Hitler tinha a Juventude Hitleriana, Estaline os Pioneiros, Salazar a Mocidade Portuguesa; a Direcção-Geral dos Impostos ameaça com o Príncipe Honrado

Ponto prévio: não tenho nada contra a educação cívica das crianças (seja lá o que isso for). Tenho tudo contra a propaganda e as lavagens ao cérebro. A princípio, quando me enviaram as pranchas, pensei que era uma galhofice. Afinal, era a sério.
Mas sério mesmo é que se escrevam estas barbaridades: Honrado era especial. Primeiro era mesmo dos clãs dos "gente de bem", desde sempre. Segundo: tinha poderes especiais (os da lei) e uma arma terrível (o direito tributário), o que lhe permitia ver tudo. Mesmo o que estivesse mais escondido e camufaldo (os bolds são meus e já agora pergunto: será Honrado o petit nom do Big Brother?).
Não vou falar da pobreza da linguagem (a começar pelo título), da miséria do argumento, da banalidade dos bonecos. E como não vou falar de nada disso, deixo-vos com a versão integral do «Era uma Vez no Planeta do Respeito por Todos» (clicar para aumentar). Em complemento, aconselho a leitura deste texto que eu assinaria por baixo.















4 comentários:

manuel disse...

PORRA!!!

Isto é a banda desenhada mais bizarra de sempre.

Eu só leio o Tio Patinhas :P

alex disse...

unfuckingbelievable! que cena mais abjecta.

t.o r.k.m u.r p h.y... disse...

impressionante! além de tudo, pregam dissimulada volta à monarquia... só faltou aclamar sebastião, o crente, o das perpetuadas mazelas de todas as terras lusófonas... :)

ex-blogger disse...

oh my god!
!!!!!!!!!!!!!