07/01/08

Porque não se calam?

«Luiz Pacheco é um dos escritores mais importantes do século XX português, um dos grandes estilistas da literatura portuguesa. Ele é o nosso Jorge Luís Borges, porque, não tendo nada a ver, à partida, com o escritor argentino, escrevendo também sempre textos curtos, escrevendo prosa normalmente com não mais de cinco páginas, dez páginas, marcou as nossas letras», Rui Zink
«Era uma personalidade que poderíamos considerar excêntrica, que sempre que abria a boca nunca se sabia o que ia dizer, mas era um ser humano único (...) Sinto a morte de Luiz Pacheco de uma forma muito profunda, já que o considerava um amigo pessoal e é quase como se o conhecesse intimamente», João Pedro George
«Sempre admirei muito em Luiz Pacheco o seu espírito de irreverência, a liberdade crítica, a capacidade de destruir corrosivamente as convenções, quase sempre mortas já. [...] Era um espírito que, naquela atmosfera passiva, adormecida, dos anos 50, 60 e ainda 70, trouxe, por vezes com excessos de linguagem, uma lufada de ar novo. Era dos espíritos mais irreverentes deste país», Vítor Aguiar e Silva
E até eu, que não punha no Olimpo o falecido, consigo perceber a treta destes encómios que chegam em bicos de pés. Em alternativa, leia-se aqui.
Ou o próprio: «não há mais filosofia do que esta: deixar andar, tanto faz, hoje ou amanhã morremos todos, daqui a cem anos que importância tem isto, quem se lembrará de nós? quem se lembrará de mim?», Luiz Pacheco, Carta a Fátima

5 comentários:

manuel disse...

The Stranglers - Everybody Loves You When You're Dead

They crucify you when you get it wrong
When things are fine they put you ahead
They laugh at you with your trousers down
They pick the stones and aim them at your head
When you're alive they won't care what you said
What you deserve and all the blood you bled
It doesn't matter what you try to hide
The sun comes out and then the truth is read
Your fans'll love you when you're alive
But the wreaths are laid by the rest instead
When you're alive they won't care what you said
What you deserve and all the blood you bled
'Cos everybody loves you when you're dead
Kneel and pray by the side of your bed
And everybody loves you when you're dead
Kneel and pray just like your momma said
When you're alive they won't care what you said
What you deserve and all the blood you bled
You'll turn in your grave at what's gonna be said
You'll finally be appreciated
'Cos everybody loves you when you're dead
'Cos everybody loves you when you're dead

KC disse...

A realidade cantada pelos Stranglers!

Quanto a Luiz Pacheco, ninguém ficará indiferente à sua obra. Descobri-o através dos seus Exercícios de Estilo, numa altura em que nada sabia da sua vida…

Luis Eme disse...

Agora é altura de dizer bem do Pacheco, porque já não incomoda ninguém... a não ser que apareça por aí o seu fantasma...

Ele tem muitas facetas, além da de escritor, a de editor, será das mais curiosas, pela arte e engenho em publicar livros, muitas vezes sem um "chavo" no bolso.

É uma pena pouca gente o conhecer como criador. Conhecem-no essencialmente como desbocado, o gajo dos óculos de lentes de vidro de garrafa, capaz de chamar com todas as letras, filho da puta a este, cabrão aquele, paneleiro ao outro, etc. Mesmo que se estivesse a referir a um prémio nobel ou a um ministro da cultura...

Serão bem vindas algumas segundas edições...

Anónimo disse...

ACL: Já reparou que existem Grandes Manobras para a sucessão da " catédra " de Eduardo Prado Coelho nos jornais?!? Eu, a três mil Kms de distância sinto isso...Ele é lançamento de livros, ele é Programas de Rádio:onde se projectam distintamente Pedro Mexia,Eduardo Pitta e Manuel Gusmão! Para lá do bem e do mal, AC-L.,como grande interventora e crítica literária, o que isso quer dizer?!? Já agora ,numa de falsa modéstia, sabia que o L.Pacheco escreveu sobre o FAR: já nem me lembro, se foi nos" Exercícios de Estilo" ou no "Literatura Comestível", Edit. Estampa; vimo-nos depois do 25 de Abril ...e nunca trocámos elogios! FAR
PS: Esse VA e Silva, que o bom do EPC tanto elogiava,era muito à direita...FAR

João Lisboa disse...

Sempre me escapou completamente por que raio haveríamos de colocar o pobre senhor no Olimpo.