07/11/07

Os Petiscos ou a História da Cenoura e do Burro

Não me interpretem mal. Eu adoro salada de rúcula, tapas de salmão fumado, pasta al dente, tomate com mozzarella e comida japonesa. Ainda assim, custa-me perceber porque desataram os pratos referidos a invadir os restaurantes portugueses de Norte a Sul, à custa de outros sabores como as sardinhas assadas, os pastéis de bacalhau, a salada de grão, os peixinhos da horta, as batatas a murro, as ameijoas à Bulhão Pato, o xarém de conquilhas, sei lá eu. Não me interpretem mal: o meu paladar não sofre de qualquer desvio nacionalista nem a globalização é para aqui chamada. Porque onde é que já se viu os franceses cortarem no camembert, os espanhóis largarem os pimentos padrón ou os belgas os mexilhões?
Eu sei que às brigadas da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica não é isto que as preocupa. Mas será o seu zelo higienista alheio ao caso? Porque o caso é este: qualquer dia, arriscamo-nos a fazer o papel daquela personagem criada em 1973 por Woody Allen para Sleeper, comédia de ficção-científica em que o dono do restaurante Happy Carrot dava entrada no hospital e, por acidente, era posto a dormir durante 200 anos, ressuscitando num mundo completamente diferente. Dois séculos passados, o que ele continuava a não perceber, in the first place, é como é que tinha adoecido se só comia cenouras.

3 comentários:

Joana Dalila Santos disse...

Ai a bela da sardinha assada!! Esforcem-se o que quiserem, mas dela não nos afastam!

NSL disse...

Ora aí está uma das mais válida preocupações que tenho visto nos últimos anos.
E estou a falar a sério, não a brincar.

Após a tendência cada vez mais asséptica de fazer comida para adultos que não chegaram a desenvolver a capacidade do paladar (desculpem, mas rojões ou feijoada só com carne é absurdo), agora somos inundados pela versão Mcdonalds da comida - sempre igual em toda a parte.
Daqui a mais já não vale a pena ir passear a algum lado só para comer, pois para comer mozzarella com tomate cereja e rúcula basta-me ir ao restaurante ao lado.

ana cristina leonardo disse...

NSL, tinha-me esquecido da cereja, fez bem em lembrar