29/09/07

PARA O ARCEBISPO DE MAPUTO FRANCISCO CHIMOIO

Os europeus andam a matar os africanos vendendo-lhes preservativos com o vírus da SIDA, terá afirmado o arcebispo da capital moçambicana que depois disse que não tinha dito nada disso. É indiferente. A posição oficial da igreja é que os preservativos são uma invenção do diabo e que não há como a fidelidade, melhor ainda, a castidade, para evitar a doença. Quem quiser ficar a conhecer melhor a mensagem criminosa propagada pelo Vaticano, pode navegar a partir de aqui. Vómito garantido.

5 comentários:

Sapka disse...

Essa coisa é curiosa, porque em adolescente eu masturbava-me a olhar desafiadoramente para as imagens religiosas que havia lá em casa. Tenho esperado pelo raio que me fulminasse, mas até hoje, nada. É frustrante.

ana cristina leonardo disse...

Sapka, atenção com isso, porque os raios do Senhor caem quando menos se espera

Sapka disse...

Nada disso, Ana. Os raios e os coriscos têm um prazo de validade: geralmente três ou seis meses. Um ano em certos países islâmicos mediante fatwa decretada pelo imã competente. Um ano e meio em Israel, que são forretas (esta é para ti, perdão, para VOCÊ). Dois anos em Cabo Verde, que tem clima seco e só há fiscalização de faíscas pequenas. Ao fim de dois anos o artigo está completamente mole e sem força. Se não, era fácil: daqui a trinta anos caía-me um vaso na cabeça ao passar ali numa rua da Bica e vinha logo a Igreja: "Aqui tens o castigo divino, malandro de punheteiro!" Não pode ser. E os pecados todos que eu fui cometendo pelo meio? quem os pagava?

ana cristina leonardo disse...

Sapka, estava convencida que os raios do Senhor não caducavam, prova que de teologia tenho apenas algumas noções rudimentares. Assim, terá de discutir esses assuntos com um conselheiro espiritual ou directamente com o altíssimo.

Anónimo disse...

O raio não fulminou , mas pode ser que se parta, que o parte, ou que parta de vez.

Miriam