13/08/07

TORGA


Confesso que conheço relativamente mal a obra de Miguel Torga. E confesso que o que conheço não me comove desmesuradamente. Mas o homem faria 100 anos, bolas! E sempre há-de ficar para a história da literatura portuguesa. Nenhum membro do governo lá ter ido, principalmente de um governo que tem um Primeiro-Ministro que inaugura fábricas IKEA, implode edifícios em Tróia e se pavoneia no meio de crianças contratadas para o efeito, parece-me um pouco excessivo. Mesmo a mim, que não sou grande apreciadora de Adolfo Correia da Rocha.

5 comentários:

Anónimo disse...

e que foi à inauguração do museu do sr. Berardo.

ana cristina leonardo disse...

esqueci-me do sr. berardo

Anónimo disse...

Sr., vírgula, comendador...

E a senhora ministra da cultura, q até é de Letras? Ah, é verdade, ela anda a meter água, q é como quem diz, a elaborar o articulado do Museu Marítimo e da Língua - assim uma coisa por aí - e com a reforma da função pública não teve quem a pudesse substituir... ou será que n havia dinheiro para a gasolina?

Ela até telefonou ao sr. Joaquim; mas ele disse logo: ó sôra menistra (é um tratamento carinhoso q ele usa), eu agora estou de férias.

Ainda se lembrou de mandar um excedentátio, mas parece q estão de férias.

Sirod

Luis Eme disse...

Podias ler os diários... ou os "Bichos"... coisas simples e bonitas...

ana cristina leonardo disse...

Luís Ene, não podemos ler tudo e o Torga não me comove particularmente. Mas não vamos compará-lo com o Peixoto e a Lídia...