27/07/07

O Bispo de Aveiro vai a banhos


Já não bastavam os bebés gritando contra o calor, os cães saracoteando-se, os putos a levar estaladas, a tortura do voley e das raquetes, os adeptos do jogging, os fanáticos do surf, os maluquinhos das motas (de água, naturalmente), os apitos dos salvadores e o trance aos altos berros, agora ainda temos um bispo a pregar pelos areais. Não estará lá pelo prazer, que nem o imagino em calções. Como já foi explicado, vai no cumprimento do dever, porque «a Igreja não tem férias». Mas, a não ser que o senhor bispo seja capaz de repetir o milagre do Mar Vermelho e abrir duas muralhas na água, vaticino-lhe muito pouco sucesso na angariação de adeptos. Além de que, perante os corpos desnudados, corre sério risco de cair em tentação. Mesmo que só em pensamento. O que, o senhor bispo sabê-lo-á melhor que eu, também não é muito bem visto lá em cima. ACRESCENTO: Diz o Manuel das Coisas do Arco da Velha que isto é uma versão literal do Sermão de Santo António aos Peixes. Como é que eu não pensei nisso?

6 comentários:

manuel disse...

ahahahaahah!!! Isso é uma interpretação "literal" do sermão de santo antónio aos peixes!

ana cristina leonardo disse...

rendo-me. como é que eu me esqueci dessa imagem? Ainda estou a rir! Se me deres licença vou postar essa (com os devidos créditos, naturalmente...)

manuel disse...

Sim claro! Cobro apenas 15 euros por uma citação minha! Aceito Visa e MultiBanco.

manuel disse...

Também aceito via mail (tá lá o endereço no blog), oh não sou um daqueles "colas" chatos, podes perguntar ao João.

João Lisboa disse...

Confirmo, não é cola.

Mas cheira-me que o xôbispo é mirone, daqueles que se agacha atrás das dunas a cocar a febra. Qual o sexo preferido da febra que ele coca é que já não arrisco adivinhar... no fundo, é como a explicação oficial que o Sacro-Império Romano dá para o erotismo do Cântico dos Cânticos: é apenas uma linda metáfora para o amor de deus pela sua igreja.

manuel disse...

"cocar a febra" é muito bom, mas:

"simbolicamente sobrecarregado (o que, tecnicamente, se designa como "simbolismo aos baldes")

é para mim a frase do ano!